empreender com a herospark

Tempos de crise para uns e de oportunidades para outros, pandemia aponta caminhos para criação e desenvolvimento de aulas EaD

 

 

O isolamento social, consequência da pandemia de coronavírus, ressaltou realidades e acelerou processos. Em destaque está o uso de soluções digitais que mantenham funcionando setores como cultura, comércio e, em especial, educação.

 

 

A tendência de aulas EAD (Ensino à Distância) já vinha se mostrando irreversível. Prova disso é a crescente procura pela modalidade remota. Segundo a Associação Brasileira de Educação à Distância (Abed), o número de matrículas aumentou em 17% no último ano. No total, mais de 9 milhões de pessoas optam atualmente por essa modalidade de ensino. Já no ensino superior, a Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes) estima que o número de matrículas EaD já tenha ultrapassado o de presenciais. 

 

 

Fora o diploma de nível superior, a busca por cursos livres também vem aumentando. Parte desse movimento resulta de uma transição no mercado de trabalho, acentuada pela tecnologia 5.0, a extinção de profissões e o surgimento de outras e pela valorização de profissionais com múltiplos talentos, deixando ainda mais claro que ter conhecimento é essencial para conquistar melhores vagas.

 

 

Para conhecer melhor as tendências que influenciarão o conteúdo das aulas EaD, desde à temática à sua abordagem, continue a leitura.

 

Se preferir, veja este conteúdo em vídeo:

 

Mundo VUCA e as aulas EAD

 

 

A sigla VUCA, em inglês, traduz um conceito de mundo volátil, incerto, complexo e ambíguo. A expressão, que nasceu no meio militar para descrever o cenário mundial pós Guerra Fria foi adotada pelo setor empresarial no final da primeira década dos anos 2000. A rapidez da inovação tecnológica e seu poder de influenciar comportamentos individuais e de sociedades foi fator fundamental para essa leitura de mundo.

 

 

E é neste contexto de revolução digital com um adendo de expectativas sociais em suspense que só uma guerra pode causar, nesse caso a guerra contra o vírus, que estão surgindo oportunidades para o setor de educação à distância.

 

 

As tendências que deverão ser adotadas na hora de planejar seu curso online são as seguintes:

 

1- Lifelong learning

Se para algumas pessoas a rotina continuou atribulada, outras tiveram a oportunidade de parar e repensar conceitos. Além disso, ficou evidente a necessidade de aproveitamento do tempo de maneira produtiva seja pelo ócio criativo, seja pelo desenvolvimento de novas habilidades. A ideia de lifelong learning representa o aprendizado como algo constante, a ser praticado por toda a vida e não em fases ou períodos pré-determinados. Além de aumentar a busca por qualificações diversas, esse conceito estimula a produção de conteúdo (cursos) voltada à curadoria seja de obras literárias, música, filmes, inclusive de outros cursos.

 

 

2 – DIY

O conceito Do it Yourself ou Faça Você Mesmo veio para ficar. Segundo o Google Trends  buscas por termos como: cortar o próprio cabelo, como pintar a casa, como fazer uma horta no quintal dispararam. Agora que as pessoas já sabem que podem fazer muito mais por si mesmas, a demanda por cursos online com bons conteúdos nesse sentido consequentemente foi alavancada.

 

 

3 – Autodesenvolvimento

Para quem não estava familiarizado com o home office, ou teletrabalho, passar o dia inteiro na própria companhia era algo impensável. Até para aqueles que estão passando por esse período em família, o momento foi de grande reflexão. Autoconhecimento e autocontrole foram palavras-chave para manter a harmonia no lar. A busca por compreender o próprio eu e o entorno também impulsionaram conteúdos voltados à espiritualidade, psicologia, terapias alternativas, conhecimento místico.

 

 

4- Digitalização

O comércio foi um dos grandes afetados pelas medidas sanitárias devido ao fechamento de serviços considerados não essenciais. A saída para muitos deles foi a implantação de delivery de produtos. E houve casos em que esse foi o primeiro contato dos empreendedores com a digitalização. Estudo feito pelo Sebrae demonstra que de maio a agosto deste ano o número de empresas utilizando canais digitais para comercializar seus produtos cresceu de 59 para 66%. São pelo menos 7 milhões de micro e pequeno empresários no Brasil em busca de soluções para entrar no mercado de venda on-line.  

 

 

5 – Criatividade

Em tempos de crise se destacam aqueles que usam a escassez como fator motivador para a inovação. Ler tendências e saber antecipar soluções é uma habilidade que pode ser aprendida e compartilhada. É por isso as aulas que despertem o pensamento criativo tendem a ser bastante buscadas pelos empreendedores.

 

 

E você, o que aprendeu na quarentena? Descobriu algum talento, ou que o seu talento é compartilhar conhecimento? Se alguma dessas tendências te inspirou a desenvolver seu próprio curso online, confira dicas de como escolher a melhor plataforma de cursos online.

vender cursos online herospark

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *