herospark comece grátis agora

Tráfego pago é uma ferramenta de marketing digital que possibilita alavancar os acessos ao seu site ou blog. Por meio de anúncios em redes sociais, plataformas de busca e até apps, ele possibilita expor sua marca a mais pessoas.

Nesse sentido, vale a pena o questionamento: um site bem elaborado, redes sociais ativas com publicações bacanas e um produto de qualidade. Isso basta para alavancar um negócio digital? Não.

É necessário saber vender o que você faz, sendo visto e notado. Esse alcance é feito por estratégia de marketing digital, como anúncios e ferramentas de tráfego pago a fim de chamar a atenção do seu avatar.

Para conhecer melhor sobre essa estratégia, como ela funciona, para quem é recomendada e como investir em tráfego pago, preparamos este material.

 

O que é tráfego?

 

Antes de tudo, no mundo do marketing digital, o que é tráfego? Como o próprio nome sugere, o tráfego diz respeito ao movimento de usuários entre páginas na internet.

Isso significa que, a partir dele, o empreendedor de negócios digitais pode enxergar, compreender e otimizar o fluxo de visitas no seu site. Dessa forma, gerar mais conversões e vendas.

Os tráfegos podem ser divididos em vários tipos. No entanto, os mais famosos dentre eles são os dois que iremos abordar a seguir:

 

  • Orgânico — é realizado de forma espontânea. Esse tipo ocorre quando a sua plataforma é visitada por meio de recomendações de clientes e amigos, links enviados por aplicativo de mensagem, publicações em redes sociais, dentre outros;
  • Pago — será o foco principal deste texto. Conta com uma estratégia diferente e que necessita de investimento financeiro.

 

O que é tráfego pago?

 

Existem alguns tipos de tráfego no ciberespaço, e o tráfego pago é uma das estratégias de marketing mais usadas para gerar cliques e atrair visitantes em um menor período de tempo. Como os próprios nomes deixam claro, a maior diferença entre tráfego pago e tráfego orgânico é o investimento envolvido.

Este método se caracteriza por obter visitantes no seu site ou página na internet por meio de anúncios de publicidade em plataformas específicas. O tráfego pago depende de investimento financeiro, isto é, apenas a empresa ou o empreendedor que paga para aumentar as suas visualizações o geram.

Para deixar mais claro, vamos compará-lo novamente ao tráfego orgânico: este, citado por último, não tem custo, já que os visitantes chegam na sua página de forma natural, como uma indicação de um amigo ou marcação na rede social e não através de um anúncio publicado no Google. No caso do tráfego pago, os usuários chegam ao seu site assim que clicam em algum de seus anúncios na internet.

O objetivo do tráfego pago é trazer mais pessoas para ver um produto ou conteúdo que está sendo vendido e, assim, ajudar na sua comercialização e exposição digital. No geral, é uma estratégia de marketing digital usada para gerar cliques e atrair visitantes em um menor período de tempo.

Saiba mais sobre Marketing de Conteúdo e SEO e consiga mais visitas no seu blog.

 

Como funciona o tráfego pago?

 

As redes sociais e o Google são os sites mais acessados no Brasil e no mundo. Segundo uma pesquisa realizada pela ComScore, empresa de análise e pesquisa, e publicada pelo Business Insider, o Facebook é a rede social mais visitada do planeta.

Segundo a pesquisa, são mais de 836,7 milhões de “hóspedes” todos os dias. Atrás deste gigante, está o Google, com 782,8 milhões de visitantes. A lista, com as 20 plataformas mais visitadas, também conta com outros sites, como: Youtube, Blogger, Twitter e Amazon.

Seja você um empreendedor digital que oferta infoprodutos, seja dono de um e-commerce, grande ou pequeno, não se deve ter dúvidas de que a sua audiência está presente na rede social.

Por esse motivo, as plataformas de parcerias para anúncios neste tipo de sites estão entre as mais populares quando se fala em tráfego pago. Temos, por exemplo:

  • Google Ads;
  • Google AdSense;
  • Facebook Ads;
  • Twitter Ads;
  • Bing Ads.

 

E até em aplicativos, como o Waze e Tik Tok, você pode expor sua marca para os usuários destes sites/apps.

Uma das vantagens do tráfego pago é o alto nível de segmentação proporcionado pelas plataformas. Antes de publicar seu anúncio, é possível delimitar para quem ele será distribuído.

Você pode construir e determinar o seu perfil de público por idade, sexo, interesses, região, além de outras variáveis. Para isso, ter conhecimento de quem é o seu avatar é essencial. Por isso, vale a pena definí-lo para ter um perfil mais completo de quem pretende atingir.

 

Principais plataformas utilizadas no tráfego pago

 

Google Adwords

 

Mais especificamente com relação ao Google, existe mais de um tipo de estratégia de anúncio.

Na opção chamada Google Ads, você pode escolher certas palavras-chave para que o seu site apareça na SERP — isto é, no mecanismo de buscas — antes dos resultados orgânicos. Assim, aparece logo no início da pesquisa com a etiqueta “Ad”, deixando evidente que se trata de um anúncio.

A outra possibilidade é, por meio do AdSense, no qual se publica um anúncio em páginas parceiras do Google.

 

Facebook Ads

 

Assim como ocorre na plataforma Google Ads, o Facebook Ads é responsável por publicar postagens patrocinadas no feed de notícias dos seus usuários.

As recomendações ocorrem conforme o nicho, gosto e preferência de cada indivíduo. Esse recurso é oferecido pela própria ferramenta da rede social e oferece diversas funcionalidades, recursos, tipos e preços para investir em tráfego pago.

Dentro do Facebook Ads, vale a pena conhecer sobre o Pixel do Facebook, veja mais no vídeo abaixo:

 

 

Custo por clique ou custo por mil impressões?

 

A partir do momento que você passa a entender que investir em tráfego pago é importante, deve começar a se perguntar também quanto isso pode custar. Existem duas formas de precificação dos anúncios que geram tráfego pago:

 

  • CPC (custo por clique);
  • CPM (custo por mil impressões).

 

A ordem dos anúncios precisa ser escolhida de alguma forma e, por isso, o que ocorre é uma espécie de “leilão” entre aqueles que desejam se divulgar. É importante saber como diferenciar ambos para obter o melhor resultado.

Em suma, enquanto o método de CPC foca em cliques, a estratégia de CPM se importa mais em aparecer. Seja escolhido o primeiro, seja o segundo, é de extrema importância que se tenha em mente o quanto você pode gastar e investir em planejamento antes de impulsionar o seu tráfego pago.

Além disso, antes de qualquer decisão, também é necessário que se tenha pleno conhecimento do seu produto e do público-alvo a ser atingido para alcançar resultados positivos com a experiência.

 

CPC: Custo por clique

 

O CPC (custo por clique) já tem um nome autoexplicativo. Você irá pagar para a plataforma apenas quando um usuário clicar no seu anúncio. Por esse motivo, é o método mais indicado para quem deseja levar tráfego real e mais orgânico para as suas páginas.

Ainda sobre esta estratégia, ela se subdivide em outras duas categorias: automatic bidding e manual bidding.

A palavra bidding vem do inglês, e pode ser traduzida na língua portuguesa como “lance”. Como num leilão, você pode estabelecer o quanto será pago por um clique e a plataforma irá divulgar seu anúncio de acordo com o valor que foi pago.

 

  • Automatic bidding: o lance é automático e o valor estabelecido é diário;
  • Manual bidding: o lance é manual e o valor estabelecido só é pago quando, de fato, o seu anúncio for clicado por um usuário.

 

A estratégia de CPC é recomendada e válida para os empreendedores que possuem um valor definido para investir em tráfego pago e sabem o quanto realmente podem e/ou querem gastar em sua estratégia de marketing digital.

 

CPM: custo por mil visualizações

 

O CPM (custo por mil visualizações), por sua vez, é recomendado para empreendedores mais posicionados em um nível iniciante e que precisam gerar mais visibilidade e posicionar seu negócio como um todo. Assim como no CPC, o valor a ser pago por ele também é em formato de leilão, no entanto, não está relacionado à quantidade de cliques que se recebe.

A plataforma contratada para o uso desta tática se propõe a fazer com que o seu anúncio nas redes sociais apareça no feed de notícias e na timeline dos usuários. Nesse caso, o foco principal se baseia em aparecer para o maior número de pessoas e quantas vezes for possível.

Por isso, o custo por mil visualizações é o mais aconselhado para aqueles que desejam aumentar a visibilidade da marca, pois faz com que o seu anúncio apareça mais e mais vezes.

 

Para quem é indicado o investimento em tráfego pago?

 

Uma maneira muito simples e objetiva de responder seria dizer: para todos os empreendedores de negócios digitais. Afinal, é quase impossível escalar um negócio sem tráfego pago nos dias de hoje. No entanto, é importante observar alguns fatores antes de investir neste tipo de estratégia de marketing digital, como já foi dito anteriormente.

É muito relevante avaliar se a sua página na internet apresenta um conteúdo de qualidade. Isto é, se ela expressa bem a autoridade do seu negócio digital e se o seu check-out é bom.

Esses são alguns dos fatores que irão garantir uma experiência positiva para o usuário e fazer com que eles retornem a você, e até mesmo com que efetuem a compra do seu produto – dependendo de qual fase do funil de vendas eles se encontram.

Outra dica importante que podemos dar é: tenha bem definida quem é seu avatar. Assim, a partir dele, sua empresa poderá gerar o chamado tráfego de qualidade.

Em oposição ao tráfego genérico, pelo qual muitas pessoas visitam seu site, com pouco potencial de conversão e, às vezes, apenas por curiosidade, o tráfego de qualidade é mais assertivo e compõe-se de pessoas alinhadas à sua estratégia de marca, persona e ideias, o que faz com que possuam grande potencial de conversão.

Conhecer bem seu público, utilizando-se das métricas de vendas já realizadas, também é algo que ajuda a decidir com mais precisão qual é a rede, plataforma ou aplicativo mais adequado para lançar seus anúncios.

 

Como gerar tráfego pago de qualidade

 

Agora, antes de dizer como fazer o seu anúncio ou o que levar em consideração na hora em que você for criá-lo, nós devemos recapitular alguns pontos que não podem ser esquecidos. Vamos lá!

É importante gerar tráfego pago? Sim! Não há dúvidas que a resposta é afirmativa. Mas você quer que a sua página seja visitada por qual motivo? Se está claro que o acesso só será positivo se gerar reconhecimento de marca, criar relacionamento com o consumidor e proporcionar conteúdo relevante, então siga adiante.

Outro ponto, você conhece bem a sua marca, o seu produto e o avatar com o qual está lidando? Se a resposta for “não”, é importante avançar logo nesta etapa.

 

1. Crie mais do que apenas um anúncio

 

Em primeiro lugar, crie mais do que apenas um anúncio. Aposte em diferentes anúncios para diferentes personas. Use foto ou vídeo e explore a fundo o que as plataformas lhe permitem. Tente utilizar mais de um tipo de anúncio e avalie qual foi o mais acessado por cada segmento.

 

2. Utilize lookalikes

 

Para aumentar o seu alcance, você pode utilizar a opção de lookalikes. Essa palavra que advém da língua inglesa, em português significa “sósia”. Ela funciona como um tipo de trampolim para a marca ser vista por pessoas semelhantes àquelas que já tiveram algum tipo de envolvimento com seu negócio digital, seja por uma rede social, site ou blog.

 

3. Tenha uma mensagem clara e objetiva

 

Não deixe de lembrar: tenha uma mensagem clara e objetiva. O seu anúncio não pode deixar dúvidas de que seu produto ou serviço responde o problema da pessoa, atende as expectativas do consumidor ou de que é a solução para o seu cliente.

Para que fique ainda mais evidente a razão de “existir” um anúncio ali, saiba os desejos dos seus consumidores e como eles pensam, Somente assim será possível apostar em gatilhos mentais e utilizar técnicas de neuromarketing.

 

4. Conte com outras ferramentas

 

Se, além de conseguir divulgar bem seu infoproduto, você também deseja executar seu projeto, criar landing pages de sucesso e capturar leads, aconselhamos a a HeroSpark.

Ela é ideal para quem deseja criar negócios digitais de alto impacto e para a criação de funis que resultem em alta conversão.

Lembre-se de que, quanto mais estudo e planejamento for feito para o tráfego pago do seu negócio, mais chances você terá de adquirir uma experiência positiva para o seu negócio.

3 Comentários

  1. Rubens disse:

    Muito bom seu conteúdo, me deu oportunidade de
    aprender algo novo. Eu ainda preciso me aprofundar em
    tráfego pago. Me visite também se você se sentir a
    vontade para isto.

  2. PEDRO PORTUGAL disse:

    quanto devo investir em trafego pago??estou começando a pouco tempo,qual é o valor ideal diário??obrigado

    1. Leon Zugman disse:

      Olá, Pedro!

      Escrevemos um guia sobre custos de tráfego pago em redes sociais, talvez te ajude a definir o orçamento!

      A verdade é que não existem valores definitivos.
      Você deve ir começando aos poucos e ir testando para ver o que dá mais resultado para você.

      Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *