“Toda empreendedora é uma heroína”, esse é um dos lemas da HeroSpark. Ele nos mostra que as mulheres empreendedoras estão sendo cada vez mais valorizadas no mundo dos negócios.

Afinal, se antes as mulheres sofriam com o apagamento de seus nomes, hoje se colocam como gigantes dentro de um mercado tão competitivo. 

Como a representatividade importa, trouxemos a história de 11 mulheres que colocaram seu nome no mundo, com 4 livros para inspirar você a tirar sua ideia do papel. Confira!

1. Irmãs Alcântara (Orna Group)

As irmãs Bárbara, Débora e Júlia Alcântara são empreendedoras e comunicadoras de Curitiba. Juntas, elas fundaram o blog “Tudo Orna”, da marca de acessórios slow fashion ORNA. 

Além disso, elas são sócias-proprietárias do Orna Café e possuem um curso online sobre branding e empreendedorismo digital, o Efeito Orna.

O trio começou construindo o blog em 2010 e, com o tempo, algumas marcas começaram a se interessar pelos seus conteúdos. Possuem parcerias como Vivara e Nyx, com um faturamento de R$ 2,5 milhões anuais.

 

2. Cleusa Maria (Sodiê)

Nascida no interior do Paraná, Cleusa Maria da Silva começou a trabalhar ainda na infância como boia-fria. Tempos depois, se mudou para São Paulo para atuar como empregada doméstica, e foi aí que teve seu primeiro contato com a confeitaria.

Lá, ela aprendeu vários truques com a empregadora e passou a se dedicar à profissão. Alguns anos depois, abriu sua primeira loja de bolos no bairro onde morava. 

A confeitaria atraiu cada vez mais clientes e, agora, Cleusa está à frente de uma rede de mais de 300 lojas espalhadas em 13 estados brasileiros e uma delas fora do país, em Orlando – EUA.

mulheres empreendedoras

 

3. Zica Assis (Instituto Beleza Natural)

Zica já foi considerada pela Forbes uma das 10 mulheres empreendedoras mais poderosas do Brasil em 2013. Quer saber por quê?

Ela investiu em cursos de cabeleireiro desde nova. Não para se tornar uma profissional no ramo, mas para entender melhor seus próprios fios e descobrir como ela poderia tratá-los de uma maneira mais saudável.

Com dificuldade de encontrar produtos que atendessem às suas necessidades e sabendo que não era a única que gostaria de cuidar dos cabelos cacheados e crespos de forma mais eficiente, tomou a iniciativa de desenvolver seus próprios produtos capilares. Assim, nasceu o Instituto Beleza Natural. 

A empreendedora convenceu o marido a vender o carro que usava para trabalhar, procurou especialistas que pudessem ajudá-la a desenvolver os produtos e inaugurou seu primeiro salão especializado em cabelos ondulados, cacheados e crespos.

O negócio cresceu, e o Instituto Beleza Natural tem lojas no Brasil e nos Estados Unidos. 

 

4. Ana Paula Padrão e Natália Leite (Escola de Você)

Com o objetivo de criar um espaço de aprendizagem para o empoderamento da mulher, nasceu, em 2014, a Escola de Você. O foco desse negócio é no desenvolvimento pessoal e profissional de milhares de mulheres do Brasil. 

Além de Ana Paula e Natália Leite no comando, a Escola de Você conta com a colaboração de:

  • Soraia Schutel, mestre em Administração e doutoranda em Administração pela UFRGS na área de Inovação, Tecnologia e Sustentabilidade.
  • Patrícia Tucci em “Imagem & Beleza”, pioneira em consultoria de imagem pessoal, com 16 anos de atuação, e autora do livro Qual é a sua imagem?
  • Ana Fontes, graduada em Propaganda e pós-graduada em Marketing pela ESPM e Relações Internacionais pela USP, responsável por “Negócios & Marketing”.

5. Cristina Junqueira (Cofundadora do Nubank)

Nubank é uma startup brasileira no segmento de serviços financeiros, atuando como operadora de cartões de crédito e fintech com operações no Brasil. 

Sediada em São Paulo e fundada em 6 de maio de 2013 por Cristina Junqueira, Edward Wible e David Vélez, a empresa é avaliada em mais de US$ 41,5 bilhões. 

Consolidada como uma das principais lideranças femininas no Brasil em uma área que é majoritariamente comandada por homens, Cristina Junqueira sabe da sua responsabilidade em inspirar outras mulheres.

Mas sua trajetória para chegar ao posto que assume hoje não foi nada tranquila. A empresária costuma contar que sua filha, Alice, é gêmea do Nubank. Ambos nasceram na mesma época, o que a fez dividir as tarefas da maternidade com a estruturação do seu próprio negócio.

Se você quiser conhecer a história de mais mulheres empreendedoras, assista a esse vídeo gravado por duas heroínas aqui da HeroSpark. Está incrível!

 

6. Nathalia Arcuri (Me Poupe!)

O Me Poupe! é uma marca voltada ao ensinamento de finanças. No projeto, Nathalia transmite informações sobre finanças pessoais de um jeito direto e didático. 

Ela se tornou uma das referências na área de ensino de finanças pela internet e o seu canal é um dos maiores sobre o tema na internet. 

Formada em jornalismo, Nathalia Arcuri começou sua carreira no SBT em 2006, atuando como repórter. Em 2009, foi contratada pela Rede Record para o cargo de repórter do programa Hoje em Dia. 

Especializou-se em educação financeira pelo Instituto DSOP, planejamento financeiro pelo INSPER e possui três certificações pela Sociedade Brasileira de Coaching.

A especialização surgiu no período em que sugeriu para a Record um reality show sobre economia, porém, foi recusado diversas vezes. 

Pediu demissão da emissora em 2015, quando começou a investir no YouTube com seu canal Me Poupe!, originado de seu blog, lançado em 2013. Ela já faturou mais de R$108 milhões ajudando as pessoas a pouparem.

mulheres empreendedoras

7. Reshma Saujani (Girls Who Code)

Girls Who Code é uma organização sem fins lucrativos, fundada por Reshma Saujani, e que trabalha para diminuir a diferença de gênero na tecnologia. A organização já alcançou  300 mil meninas em todos os 50 estados dos EUA. 

Reshma também é autora de três livros, incluindo “Brave”, “Not Perfect”, “Women Who Don’t Wait In Line” e os best-sellers do New York Times como “Girls Who Code: Aprenda a Codificar e Mudar o Mundo”.

Imagem ofertando o e-book gratuito de funis americanos

Em 2010, Saujani subiu ao cenário político como a primeira mulher indígena americana a concorrer ao Congresso dos EUA.

Ela também atuou como advogada pública adjunta da cidade de Nova York, onde mora com o marido, Nihal; o filho deles, Shaan; e seu bulldog, Stanley.

 

8. Jasmine Crowe (Goodr)

Good, plataforma de gerenciamento de alimentos que permite aos usuários rastrear e redirecionar alimentos excedentes. 

A empresa foi criada em 2017 e, sob a direção de Jasmine, Goodr já desviou quase dois milhões de libras de alimentos dos aterros e atende clientes como o Aeroporto Hartsfield Jackson de Atlanta, NFL e a Netflix.

A plataforma fornece dados preditivos para melhorar as decisões de compra e produção, captura a análise de resíduos e calcula a economia de impostos. 

O objetivo final de Crowe é que Goodr se torne global.

 

9. Michelle Zatlyn (CloudFlare)

CloudFlare é uma empresa de segurança e desempenho na web, selecionada pelo Wall Street Journal como a tecnologia de Internet mais inovadora, e que tem Michelle Zatlyn como confundadora. 

Antes da CloudFlare, Michelle trabalhou na Toshiba, como gerente de produtos, e no Google, enquanto fazia seu MBA. Além disso, lançou duas startups de sucesso. 

Se o assunto é mulheres empreendedoras, Michelle dá um show!

 

10. Mae Jemison (Jemison Group)

Desde muito jovem, Mae tinha certeza de que queria ser cientista e, antes mesmo de ir para o ensino médio, já se interessava por assuntos do espaço.

Estudou na Universidade de Stanford com uma bolsa de estudos em engenharia química e, posteriormente, obteve um doutorado em Medicina pela Cornell University. 

Depois disso, ingressou no Peace Corps como médica oficial da África Ocidental, especialmente na Serra Leoa e na Libéria.

Mae Jemison foi a primeira mulher afro-americana a ser admitida no programa de treinamento de astronautas da NASA e também foi a primeira mulher afro-americana a viajar para o espaço. 

Ela viajou a bordo do Endeavour na missão STS47 e conduziu experimentos sobre a falta de peso e enjoo de movimento na tripulação e em si mesma, totalizando 190 horas no espaço. 

Depois de servir à NASA, Mae fundou o Jemison Group, Inc., que desenvolveu o ALAFIYA, um sistema de telecomunicações por satélite. O objetivo deste sistema era melhorar os cuidados médicos nos países em desenvolvimento.

mulheres empreendedoras

 

11. Grazzy Brugner (Studio Grazzy Brugner)

Com quase mil alunas cadastradas, a professora e coreógrafa Grazzy Brugner abriu um estúdio que revolucionou as aulas de pole dance. Formada em educação física, ela viu na prática uma oportunidade de transformar a vida das mulheres. 

Seu negócio começou de forma presencial e, seu próximo passo, foi transformar um negócio físico em um negócio online. Em 2019, lançou cursos EAD na área, revolucionando a forma de aprendizado em pole dance e alcançando mais pessoas.

 

4 livros de mulheres empreendedoras que vão te inspirar

1. Faça Acontecer: mulheres, trabalho e a vontade de liderar – Sheryl Sandberg 

Neste título, a autora Sheryl Sandberg encoraja mulheres empreendedoras a mergulhar no mundo dos negócios, assumindo os riscos e fortalecendo a busca por seus objetivos. 

Sandberg é empresária e chefe operacional do Facebook desde 2008. Foi a primeira mulher eleita para o conselho de administração da companhia.

O livro se baseia em sua vasta experiência no mercado e reflete sobre a própria carreira para dar conselhos e visões de como é o universo das mulheres empreendedoras. 

Apesar do foco ser dicas para mulheres a partir de sua vivência, o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, reconheceu o valor da obra também para os homens, recomendando a leitura como um meio de se tornarem líderes melhores.

 

2. Por que mulheres não pedem: negociação e divisão de gênero – Linda Babcock e Sara Laschever

Uma obra embasada em estudos e apoiada em pesquisas do mercado de empreendedorismo feminino, “Por que mulheres não pedem: negociação e divisão de gênero” mostra contrastes do comportamento e modos de atuação de mulheres e homens num contexto corporativo. 

As autoras evidenciam as diferentes técnicas adotadas entre esses dois grupos, com foco na arte da negociação e suas diferentes técnicas.

 

3. Empreendedoras de Alta Performance – Andreia Roma, Tatyane Luncah e Vanessa Cotosck 

Com prefácio escrito pela dona da rede Magazine Luiza, Luiza Trajano, empresária de prestígio, esse livro tem uma proposta de diálogo com o leitor. 

Escrito por mulheres e sobre mulheres, a obra apresenta empreendedoras “como você”, contando estratégias e experiências com o empreendedorismo de sucesso.

É uma obra que revela ensinamentos de mulheres que estão aptas a marcar uma geração de líderes empreendedoras. O livro pode ser de grande ajuda para se preparar para o mercado e a dinâmica dos negócios.

 

4. Você Intraempreendedor – Dorie Clark

“Monetize suas habilidades, crie várias fontes de renda e tenha sucesso”: em sua obra, a professora de educação executiva da Fuqua School of Business disserta sobre como definir seu próprio sucesso profissional e fazer com que ele tenha valor para si e para os outros.

De forma clara e precisa, Clark dá dicas de como monetizar sua expertise para serem aplicadas tanto em uma empresa quanto para o indivíduo em si, unindo a visão de uma mulher empreendedora a reflexões que podem ser aproveitadas por vários públicos.

E então, o que achou deste conteúdo? Muito inspirador, não é mesmo? 

Aproveite esse momento de inspiração para conhecer mais sobre Grazzy Brugner e saber como a HeroSpark fez parte da sua história, levando seu empreendimento físico para o digital, apoiando o seu negócio e impactando mais mulheres!

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.