empreender com a herospark

Sobreviver no mercado é uma preocupação que atinge empresas novas e veteranas. Afinal, as pessoas mudam e com elas também mudam seus hábitos de consumo. Para permanecerem relevantes diante das mudanças, muitas empresas adotam um novo modelo: o dos negócios recorrentes.

Atualmente, muito se fala sobre a economia da recorrência. Um novo termo utilizado para denominar uma categoria de empresas que vendem seus produtos ou serviços através do modelo de assinatura, plano e mensalidade. Conheça mais sobre eles!

 

O que são os negócios recorrentes?

Os negócios recorrentes podem até parecer uma ideia recente, devido à sua aderência por empresas nativas do mundo digital, mas já possuem longos anos de estrada.

Tratam-se de modelos de vendas incrivelmente bem-sucedidos, baseados em repetidas vendas para os mesmos clientes. Isso acontece por meio de assinaturas, por exemplo.

O modelo se destaca pela capacidade de previsão do faturamento mensal, na criação de um vínculo mais forte com o cliente e desenvolvimento de vendas contínuas.

A previsão de faturamento é uma das principais vantagens. Ou seja, todo mês, você tem uma ideia do lucro que seu negócio terá. Este benefício, além de favorecer o crescimento do seu negócio, atrai mais investidores. 

Vale ressaltar que se a sua empresa não nasceu com um modelo de negócio recorrente, não significa que ela não possa aderir.

Muitas organizações mudaram seus planejamentos e adotaram essa estratégia, obtendo grande sucesso de vendas, sejam elas parte ou não do mercado digital.

 

Como os negócios recorrentes funcionam?

Em termos de negócios digitais, o processo é basicamente:

  1. Criar um produto digital;
  2. Atualizá-lo com frequência ou produzir outros relacionados;
  3. Comercializar o acesso.

Para vendas recorrentes com produtos físicos:

  1. Definir um nicho de mercado;
  2. Criação de planos de assinatura de produtos relacionados;
  3. Realizar entregas mensais dos produtos.

Para entender a recorrência com mais profundidade, vale a pena conhecer também a venda tradicional, que é o oposto dos negócios recorrentes.

Esta se refere ao tipo de venda unitária, ou seja, feita a cada cliente de uma só vez.

Você vende hoje para um cliente que precisará ser convencido a comprar o seu negócio novamente. E por aí vai. 

Há inúmeros casos de empresas que conseguiram crescer através de um modelo de vendas transacional e obtiveram lucros exorbitantes no passado. Mas esta não é mais a única possibilidade. 

Vale lembrar que vender para um novo cliente custa muito mais caro para a sua empresa do que para um cliente já fidelizado.

E esse é um dos maiores motivos para você prestar atenção no modelo de receita recorrente e considerar adotá-lo.

Afinal, o modelo de vendas transacional é incerto e pode não ajudar a sua empresa a crescer com a rapidez que ela precisa.

 

Confira alguns modelos de negócios de recorrência

Separamos alguns dos exemplos de negócios de diversos segmentos de mercado que se inserem na chamada economia de recorrência. Confira as possibilidades!

 

1. Clubes de assinatura

Ultimamente, os clubes de assinatura se tornaram um grande sucesso entre os consumidores, proporcionando para quem deseja empreender, uma ótima oportunidade de negócio.

Entre uma das empresas bem sucedidas no mercado brasileiro está a TAG, um clube de assinatura de livros que deu sangue novo ao segmento. 

Existem clubes de assinatura dos mais variados produtos: de vinhos, cervejas, de frutas e alimentos orgânicos e até mesmo de produtos eróticos.

O que mais importa é identificar a necessidade do público e ter um clube de assinatura que a atenda.

 

2. Software as a Service (SaaS)

O Software como Serviço (SaaS) também é um modelo de assinatura recorrente muito utilizado por empresas e consumidores. Seu principal objetivo está em facilitar o trabalho do cliente através da automatização de uma tarefa muito necessária no seu dia a dia.

Plataformas de CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente, em tradução livre) são um ótimo exemplo.

Elas facilitam a organização dos dados de clientes de uma empresa, tornando o trabalho de prospecção muito mais prático para o setor comercial. E dá até mesmo informações que seriam humanamente impossíveis de serem coletadas e analisadas manualmente.

Um exemplo famoso é o da empresa Adobe, dona de softwares líderes de mercado, como o Adobe Premiere, o Photoshop, entre outros. Muito utilizados no setor da comunicação, seja de agências ou de empresas.

Outro exemplo é a HeroSpark, que oferece uma série de soluções para facilitar lançamentos de produtos digitais.

 

3. Conteúdo

Bons exemplos de recorrência de conteúdo são os jornais.

Eles trabalham com modelos de assinatura há muitos anos, mas eles se tornaram ainda mais relevante em meio à transformação digital.

Quem nunca acessou o site de um jornal nunca ficou travado sem poder ler a notícia até assinar um plano mensal de conteúdo? 

O modelo de assinatura de conteúdo funciona tanto para empresas já estabelecidas no mercado quanto para novos negócios ou até mesmo criadores de conteúdo autônomos.

Funciona assim: você pode compartilhar conteúdo relevante e gratuito nas redes sociais e oferecer um material mais específico e personalizado através de um modelo de assinatura. 

A mídia alternativa muito se beneficia desse tipo de modelo, como o Canal MyNews. Ele oferece conteúdo exclusivo para apoiadores do Canal, além de benefícios como a possibilidade dos assinantes escreverem suas próprias matérias ou análises políticas no site da organização. 

Outro exemplo é o close friends pago, que alguns influenciadores e mentores utilizam para compartilhar conteúdo exclusivo com seus seguidores.

Existem inúmeras maneiras de trabalhar um modelo de assinatura de conteúdo.

Afinal, não importa qual seja a sua área de atuação, há sempre um público disposto a pagar por informações relevantes.

 

4. Educação

Esse segmento é talvez um dos mais privilegiados pelo modelo de negócios recorrentes.

Isso porque escolas, universidades e cursos online viram nos serviços de assinatura uma ótima maneira de propagar o conhecimento e atingir novos alunos. 

A democratização do ensino muito se deve a essa nova maneira de aprendizagem.

Assim, pessoas com realidades totalmente diferentes conseguem ter acesso a um ensino que por vezes não se encaixa em suas rotinas.

E a recorrência, além de trazer uma quantidade maior de alunos, torna o serviço mais acessível.

 

5. Produtos de consumo altamente recorrente

Entre as empresas que mais revolucionaram o mercado de assinaturas está a Nespresso. Um case de sucesso, quando o assunto é reposicionamento de marca e escalabilidade. 

A marca criou uma nova forma de consumo, tornando-o mais exclusivo através do encapsulamento do café, da ofertas de diversos sabores, personalizando ao máximo o seu produto.

Está vendo como é possível mudar a maneira como a sua empresa vende e escalar o seu negócio mesmo que ele não tenha nascido como um modelo recorrente? 

 

6. Estacionamentos

Pode parecer improvável, mas empresas que oferecem serviço de estacionamento também se privilegiam do modelo de assinatura.

Para quem precisa dessa facilidade na rotina, essa é uma ótima maneira de economizar, garantindo o conforto de ir e vir. 

 

7. Modelo freemium

O seu smartphone virou um depositório de aplicativos que facilitam o seu dia a dia, não é?

Sejam aplicativos de streaming de música, como o Spotify ou Deezer, aplicativos que ajudam você a cuidar da saúde ou até mesmo aqueles em que você aprende um idioma, como o Duolingo.

Todos esses aplicativos possuem um serviço gratuito e um serviço premium disponibilizado através de uma assinatura mensal, que muitas vezes custa menos que o preço de um lanche. 

Este modelo tem o nome de freemium, em que você oferece acesso gratuito, mas libera todas as funcionalidades apenas para quem assina.

O mercado de tecnologia, mais especificamente dos aplicativos, é um dos mais rentáveis quando o assunto é assinatura é serviço por recorrência. 

 

Como iniciar um negócio recorrente?

Se quer criar uma empresa de recorrência, ou quer migrar a sua para este modelo de negócios, o ideal é que tenha as ferramentas adequadas e os profissionais mais especializados no assunto ao seu lado.

E para sua tranquilidade, você pode contar com a HeroSpark! Nós ajudamos você a vender o seu produto digital por recorrência de forma simples.

Basta você possuir um produto público na plataforma da HeroSpark e criar a sua oferta do tipo assinatura. A cobrança será feita mensalmente até que você retire o seu produto do ar ou o aluno cancele a assinatura. 

Crie sua conta gratuitamente e crie um negócio: escalável, recorrente e rentável! 

vender cursos online herospark

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *