Google Analytics: o que é e como usar no site? [2022]

Google Analytics
Google Analytics

Provavelmente você já ouviu falar do Google Analytics, a ferramenta mais utilizada no mundo para análise do tráfego de sites na internet, não é verdade?

Mas você sabe como usar uma ferramenta tão completa como essa? 

Sim, saber como funciona o Google Analytics e conhecer todos os seus recursos específicos pode auxiliar (e muito) no crescimento do seu site.

Por isso, neste post, separamos todos os detalhes que você precisa saber a respeito do Google Analytics para ajudar a melhorar o engajamento do seu negócio digital. Confira!

O que é o Google Analytics? 

O Google Analytics é o serviço mais utilizado no mundo. Ele funciona como uma ferramenta de marketing digital do próprio Google para monitorar e analisar os dados de sites e aplicativos através de códigos de rastreamento.

Assim, a ferramenta:

  • Realiza análises de tráfego;
  • Coleta informações dos perfis que acessam seu site;
  • Ajuda na otimização de páginas;
  • Contribui com estratégias de marketing;
  • Entre outras funções.  

Para que serve o Google Analytics? 

Ao implementar essa ferramenta no seu negócio online, você fica sabendo os dispositivos usados pelos internautas para chegarem até o seu site, como computador, tablet ou celular. O programa ajuda a definir o melhor momento para veicular suas estratégias de marketing e campanhas e estabelece a hora em que há maior engajamento do público-alvo.

O Google Analytics permite verificar para onde vai o dinheiro investido em sua campanha e o quanto de retorno foi obtido. Afinal de contas, só é possível verificar falhas e alcançar resultados mensurando todo o processo, para, então, mudar os planos e adaptar as estratégias. Além disso, a plataforma dá suporte para conhecer melhor a sua audiência.

 

Como funciona o Google Analytics? 

Imagine o seguinte: um usuário acessa a internet por meio de um navegador. Assim que ele entra em um site que tem o código do Analytics, uma sessão é gerada. O código instala um cookie no navegador para saber se você é um usuário recorrente ou novo. Esse código lê as informações de acesso (idioma, país, cidade, dispositivo) a serem agrupadas na sessão e as envia para o Google Analytics.

Esses dados são, agora, convertidos em relatórios e métricas para você analisar e tomar as melhores decisões. Confira, a seguir:

 

Relatórios 

É possível definir metas, acompanhar o andamento de campanhas, criar painéis de controle (conforme as métricas que você escolher) e monitorar eventos (de acordo com os botões e menus clicados pelo visitante). Abaixo, os tópicos retirados nos relatórios:

  • Público: quem é a sua audiência, quem consome o seu conteúdo e/ou serviço (homem, mulher, localidade, faixa etária, usuário constante, etc)
  • Aquisição: como o público chegou ao seu site (e-mail marketing, rede social, tráfego orgânico)
  • Comportamento: o que o usuário faz quando chega ao meu negócio online. Fazendo uma analogia, enxergue comportamento como a jornada de compra, a etapa de geração e engajamento de leads 
  • Conversões: aqui você já sabe quem visita, de onde vem e como se comporta no seu site. Dessa forma, saberá o que a pessoa consome (e-book, curso, serviço).

Com o Google Analytics, é possível acessar o perfil do visitante do seu negócio online.

 

Métricas 

A métrica é uma medição quantitativa dos dados do público-alvo e pode ser feita a partir de soma ou proporção. Por exemplo: a dimensão cidade poderia associar-se à população e, assim, obter um valor específico de todos os residentes do local. A seguir, as métricas oferecidas:

Imagem de oferta Mentoria Impulso Digital.
  •  Sessões: número de vezes em que a sua página é acessada
  • Usuários: número de visitantes que acessam seu site/landing page
  • Visualizações: total de páginas visualizadas a cada sessão. Por exemplo: se a pessoa entrar no site e clicar em dois posts, serão computadas duas páginas visitadas
  • Número de páginas por sessão: média de páginas que os leitores navegam por sessão
  • Duração média da sessão: tempo de permanência do leitor no site
  • Taxa de rejeição: porcentagem de usuários que entram e ficam menos de um minuto ou não clicam em nenhuma página
  • Porcentagem de novas sessões: não é tão relevante assim, mas serve para ter noção de crescimento de acessos em um período, mas não para saber se o visitante é recorrente ou novo. Se o histórico de navegação for apagado, o usuário, mesmo que já tenha entrado no site, será considerado novo.

Lembre-se: nem sempre é necessário analisar todos os aspectos citados acima. Cabe a você optar pelos relatórios ou pelas métricas que mais atendem às expectativas do seu negócio digital. Agora que você compreendeu quais dados o Google Analytics oferece, que tal aprender a captar esses índices? Vamos lá!

 

Como acessar o Google Analytics?

  1. Antes de tudo, você precisa de uma conta no Google. De preferência, utilize uma específica para o seu negócio digital.
  2. Acesse a página inicial do Google Analytics e vá em “Criar uma conta”.
  3. Se você já tiver cadastro, faça login na página. Feito isso, o sistema vai direcioná-lo para outra página, onde você deve clicar em “Inscreva-se”.
  4. Depois disso, você será direcionado para a página “O que deseja acompanhar”, duas opções vão aparecer: “Website” ou “Aplicativo para celular” e você deve escolher uma delas.
  5. Após preencher todas as informações, você deve clicar em “Obter ID de acompanhamento”.
  6. Ao receber o código de acompanhamento, insira-o em todas as páginas do seu site (em html, ele deverá ser colocado antes de </head>).
  7. Espere 24h para que a coleta comece.
  8. Quanto mais configurada estiver a plataforma, mais precisos serão os resultados e, consequentemente, sua análise. 

Para complementar o seu conhecimento, o Google disponibiliza um canal no YouTube com dicas de navegação no sistema (acesse aqui).

 

O que é o Analytics 4.0?

Lançado em outubro de 2020, essa atualização do Google Analytics é a união entre os dados de site e de aplicativo. Ele foi pensado tanto para usuários que só têm site ou aplicativo quanto para ambos. O Analytics 4.0 permite uma maior coleta de dados. Nessa versão, há, também, novas métricas: 

  • Sessões engajadas: visitantes que ficaram no site por mais de 10 segundos
  • Sessões engajadas para o usuário: analisam quantas vezes de fato os usuários geraram sessões que engajaram
  • Tempo médio de engajamento: conta o aplicativo ou site aberto em primeiro plano, dentro do site efetivamente
  • Taxa de engajamento: sessões que interagiram divididas pelas sessões no total

O Analytics 4.0 traz, ainda, recursos como: insights mais inteligentes (mais precisão no comportamento do visitante), maior integração com o Google Ads (otimização de campanhas), medição de dados focada no cliente e controle simplificado de dados.

Por fim, como o Google anunciou que o Universal Analytics deixará de processar novos dados em propriedades padrão a partir de 1º de julho de 2023, o usuário que utiliza essa ferramenta deve se preparar e migrar para uma propriedade do Google Analytics 4.

 

Qual a diferença entre canal, origem e mídia?

Para saber usar o Google Analytics com precisão e extrair os melhores relatórios da ferramenta, é necessário saber diferenciar canal, origem e mídia. Portanto, entenda um pouco mais sobre essa diferenciação logo abaixo!

 

Canais

O Google Analytics permite que você consiga determinar por qual canal o usuário chegou até o seu site. Os principais canais são:

  • Redes sociais;
  • Google, Bing e Yahoo!;
  • URL acessada diretamente pelo navegador;
  • Newsletter e outros;
  • Links patrocinados;
  • Sites com links externos direcionados para seu domínio.

 

Origem e Mídia

A origem é a dimensão de onde se “origina” o tráfego de um website. Uma referência a fonte de onde o visitante veio, por exemplo: “Google”, “Yahoo!”, “herospark.com”.

Já a mídia é a categoria geral da origem, podendo ser “orgânica”, “cpc”, “referência da web”, entre outros. Portanto, Origem/Mídia são a união entre a fonte da visita e a mídia utilizada. 

De acordo com o próprio Google Analytics, Origem/Mídia funcionam como o seguinte exemplo: origem/mídia incluem google/organic, example.com/referral e newsletter9-2014/email.

E então, gostou de conhecer mais sobre o Google Analytics? Saiba que não vamos parar por aí nas estratégias de marketing para o seu negócio!

Se quiser descobrir os segredos para criar anúncios que transformam seguidores em clientes, é só baixar agora mesmo o e-book gratuito: “Facebook Ads Guia Completo”. Aprenda com ele a fazer anúncios de sucesso e que realmente convertem!

Banner escola de psicanálise
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.