empreender com a herospark

A busca por resultados rápidos no marketing digital faz com que muitas marcas procurem por hacks. Com isso, desde os anos 90, alguns sites utilizam práticas de Black Hat SEO, no intuito de conquistarem boas posições nos mecanismos SERPs.

 

Porém, isso é reprovado tanto pelo Google quanto pelo usuário e, consequentemente, a sua página poderá sofrer algumas penalidades.

 

Então, seria mais vantajoso tentar crescer com conteúdo de qualidade e pelas técnicas de SEO recomendadas pelo Google, pois o risco das regras mudarem e o seu site perder posições na busca é baixo.

 

Confira este artigo para conhecer o que é, quais são as consequências do Black Hat SEO e como descobrir se caiu neste problema.

 

O que é Black Hat SEO?

 

Os algoritmos do Google consideram algumas práticas de SEO ao analisar a sua página e ranqueá-la quando o usuário fizer alguma pesquisa. Essa é a melhor forma de conseguir atrair visitantes para um site de forma orgânica.

 

Porém, as pessoas começaram a tentar burlar este sistema, no intuito de estar no topo da SERP, independentemente de ter um conteúdo de qualidade e deixando de lado a experiência do usuário. 

 

Sendo assim, o Black Hat SEO é qualquer atitude que seja vista como maliciosa pelo bot, ainda que essa não tenha sido a intenção do autor do blog. Por isso, é importante conhecer as técnicas e evitar utilizá-las.

 

Quais são as técnicas de Black Hat SEO mais comuns?

 

As técnicas que vamos explicar aqui, diferente da maioria de nossos artigos, não são dicas a serem seguidas. Pelo contrário, são as práticas que você deve evitar na construção do seu artigo, para que o Google não penalize seu blog.

 

Conteúdo e páginas duplicadas

 

O plágio é facilmente reconhecido e isso prejudica a possibilidade de conseguir uma boa posição nos mecanismos SERP. Isso vale tanto para o plágio parcial quanto integral, mesmo que sejam dois links diferentes do seu próprio blog, mas com conteúdos iguais.

 

É claro que vamos buscar referências confiáveis para produzir um conteúdo de qualidade, mas isso não significa “copiar e colar” do site de terceiros. Além de ser ruim no caso do ranqueamento, é uma falta de respeito com quem se esforçou e criou o conteúdo original, caso você não deixe a referência.

 

Abuso da palavra-chave

 

Uma técnica muito utilizada para que o seu artigo seja bem ranqueado nos mecanismos de buscas e consiga ser encontrado por pessoas que querem saber sobre determinado tema é o uso de palavras-chave relacionadas. 

 

Por exemplo, se um determinado assunto é sobre “afiliados digitais”, é comum que essa expressão se repita algumas vezes e de forma estratégica. Essa é uma técnica de SEO muito utilizada e eficaz.

 

O problema é quando há o abuso dessas palavras, fazendo com que elas ocupem uma boa parte do texto, pois o Google entende que há um Black Hat SEO. Por isso, o recomendado é que nenhuma palavra ocupe mais de 2 a 3% do conteúdo.

 

Conteúdo escondido

 

Essa é uma tentativa de abusar das técnicas de SEO sem que fique desagradável para o leitor. Então, são colocados vários termos relevantes escondidos na página, com a mesma intenção do abuso de palavras-chave, que é conseguir ranquear bem.

 

Para isso, são colocadas palavras na mesma cor do fundo da página, na fonte no tamanho 0 ou até reposicionando o texto para fora da página via CSS. O Google já consegue identificar essas práticas e penaliza quem as utiliza.

 

Spam nos comentários

 

É bem raro ver essa prática atualmente, mas há um tempo atrás, o que mais víamos eram blogs com dezenas de comentários irrelevantes. Eles tinham somente o objetivo de pegar a autoridade daquela página para direcionar o leitor ao site de quem estava comentando.

 

No entanto, além da prática ter diminuído, os grandes players já começaram a colocar a tag “nofollow” a qual indica aos mecanismos de busca que o site referenciado não deve ganhar nenhuma autoridade.

 

Por que não fazer Black Hat SEO?

 

Quando algumas regras são infringidas, é comum que o indivíduo receba penalizações, certo? Da mesma forma acontece com o Black Hat SEO. Quando é perceptível que alguma prática do site viola as diretrizes do Google, ele sofre algumas consequências. As mais comuns são:

 

  • Desindexação de todo o domínio no motor de busca;
  • Desindexação apenas da página no motor de busca;
  • Redução da posição no ranqueamento.

 

Além disso, sua página pode ficar mal vista pelo bot de ranqueamento e ter dificuldade em ranquear outros conteúdos, mesmo que eles não infrinjam nenhuma regra.

 

Como saber se fui penalizado?

 

Em alguns casos, a sua empresa receberá um aviso de que foi punida, mas, em outros, você apenas ficará sabendo se perceber por conta própria. Temos algumas dicas para que você consiga perceber em tempo hábil.

 

Antes de tudo, não deixe de acompanhar  as métricas no Google Analytics ou em outras ferramentas que você utilize. Isso ajuda não só a identificar as penalizações, como outras coisas importantes sobre o seu site que vai auxiliar a criar conteúdo estratégico.

Com as métricas em mãos, observe se:

 

  • houve alguma queda brusca de posição nas SERPs;
  • o número de visitas ao seu site diminuiu muito;
  • está tendo mais dificuldade que o normal de indexar a página.

 

Depois, certifique-se com relação a sua relevância no Google para quem utiliza o mecanismo de busca. Então, faça diferentes testes, como a pesquisa por palavras-chave que o seu site estava bem ranqueado e a pesquisa pelo próprio nome do site.

 

Se, nessas pesquisas, os seus resultados forem inferiores ao que era antes, é possível que você tenha sido punido. Esse processo é semelhante ao shandow ban do Instagram, no qual pessoas — principalmente famosas — aparecem numa posição inferior à que estavam antes quando o seu nome de usuário é pesquisado.

 

Certamente, o Black Hat SEO pode trazer benefícios para a sua página, mas existem formas adequadas de conseguir os mesmos resultados. Por isso, seja criativo e busque o crescimento sem infringir a política do Google.

 

Gostou das dicas? Compartilhe este post com seus amigos, pois ele pode ser útil para essas pessoas.

Veja também como gerar tráfego orgânico para o seu negócio do jeito certo:

 

 

 

 

 

vender cursos online herospark

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *