Um blog sobre empreendedorismo, negócios digitais e cursos online


Não perca mais nenhuma novidade !

Assine nosso blog e ative as notificações para receber os melhores conteúdos sobre empreendedorismo


O que é freelancer e como contratar um para seu negócio

o que é freelancer

Você pode até ter contratado este profissional alguma vez na vida, mas nem percebeu, então, o que é freelancer? Normalmente, as áreas envolvidas com o freelacing são: o design, a programação web e a redação publicitária. São ramos ligados à tecnologia e continuam em alta. 

 

Embora se associe essas profissões com a modernidade pós-digital, a origem do nome “freelancer” vem do ano de 1800. Naquela época, já existiam mercenários medievais, que lutavam para os monarcas que pagassem mais. 

 

Certa vez, em um romance antigo escrito por Sir Walter Scott, apareceu a fala de um senhor feudal que dizia “ofereci um serviço aos meus Free Lances”, se referindo aos lanceiros livres, portadores de armas comuns para o combate.

 

A partir daí a palavra se enraizou e assumiu esse significado de profissional liberal, autônomo, sem qualquer compromisso formal com um chefe. 

 

Então, que tipo de contrato pode existir entre um empreendedor e um freelancer? Quais as características dessa categoria de serviço? Leia o artigo completo e entenda!

O que é freelancer?

O freelancer é basicamente um prestador de serviços para as empresas ou pessoas físicas em geral. Por não ter um chefe específico, ele pode ficar em desvantagem por não ter alguns benefícios, mas é favorecido por não pagar tantos impostos como o trabalhador celetista — o funcionário que trabalha sob regime CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). 

 

Além disso, mesmo não recebendo os direitos trabalhistas próprios da carteira assinada, o freelancer normalmente consegue criar sua própria reserva de emergência e/ou investe em uma carteira de ações previdenciária. 

 

É possível encontrar profissionais freelancers, no geral, nas seguintes áreas:

 

  • design;
  • gerenciamento de mídias sociais;
  • redação;
  • fotografia;
  • jornalismo;
  • desenvolvimento web;
  • música;
  • artes plásticas;
  • marketing;
  • arquitetura;
  • letras e tradução;
  • contabilidade.

 

Alguns desses segmentos já são bastante tradicionais como os da contabilidade e letras mas, ainda assim, se adaptaram a esse modelo mais livre de regime trabalhista. Além de pagar menos impostos, esses profissionais podem cobrar mais como pessoa jurídica (PJ) do que como funcionário.

 

Também há a hipótese de que os empreendedores estão se orientando de forma similar ao proposto pela obra Organizações Exponenciais, dos autores Salim Ismail, Michael Shawn Malone e Yuri Van. 

 

Eles explicam, no livro, alguns atributos que mostram como a tecnologia pode ajudar os negócios, de quaisquer segmentos. Um deles é o de equipe sob demanda, que é exatamente o trabalho freelancer. É a mão-de-obra ágil, funcional e flexível. 

 

Vantajosa para o empreendedor, por ser mais barata (ausência de gastos com impostos, transporte, plano de saúde e afins) e, para o próprio freelancer, por dar a possibilidade de trabalhar para vários empreendedores e ter mais rendimentos.

 

 

baixe agora e-book funil de vendas

Que vantagens há em contratar um freelancer? 

Flexibilidade com prazos e pagamento

Um funcionário fixo contratado pode não conseguir entregar projetos em decorrência de reuniões, carga horária, imprevistos… e o patrão não pode pagá-lo menos por isso. Já o freelancer consegue oferecer um prazo mais benéfico ao empreendedor, principalmente pela sua flexibilidade de horas trabalhadas.

 

Por fim, os freelas também são flexíveis em relação a métodos de pagamento — com soluções de fintechs, boletos e até parcelamentos do valor total do serviço.

 

Variedade de competências

Além de existir várias profissões que trabalham no regime freelacing, um único freelancer pode exercer funções mais dinâmicas do que as que são limitadas em um cargo de uma empresa. Por exemplo: em vez de contratar uma pessoa para ser o designer e outra para ser o social media de uma empresa, você pode encontrar facilmente um freelancer que é designer e social media. 

 

Oferta de serviços específicos

Nem sempre os freelancers trabalham apenas com áreas bem definidas como design, redação e desenvolvimento web. Alguns oferecem serviços pontuais como digitação, transcrição, degravação, enfim… tarefas pequenas, de organização, que fazem parte de um projeto maior. 

Que impasses existem no freelancing?

 

Déficit na integração

A liberdade que o freelancer tem, às vezes, pode ser prejudicial ao empreendedor. Porque se os serviços do freela forem cada vez mais uma necessidade, seja por demanda, seja por qualidade do serviço prestado, ele ainda não é um profissional efetivo, ou seja, ele tem permissão para rejeitar a demanda. Além disso, o contratante não deve cobrar motivação e disciplina de um freelancer, da forma como exerce essa influência sobre um funcionário.

 

Gastos com impostos

Os gastos com freelancers são menores do que com a CLT, mas não são inexistentes, por isso devem ser postos na balança. O freela formal atua como microempreendedor individual, geralmente. Ele emite notas fiscais pelos serviços o que leva a empresa a pagar pelo Imposto Sobre Serviço (ISS). Contudo, se o freelancer contratado não emite notas fiscais, o Governo pode rastrear os pagamentos e considerar sonegação de impostos. 

 

Preocupação com as atividades exercidas

A lei brasileira só dá permissão à contratação de um freelancer para atividades que não são do core business da empresa. Por exemplo: você tem uma plataforma online de cursos e contrata um programador. Isso é legítimo, mas se você contratar um professor formado estará infrigindo a lei. 

Como um empreendedor pode contratar um freelancer?

A internet possibilitou muitos canais para que o freelancer seja encontrado. Muitos deles pagam anúncios, criam páginas e redes sociais para divulgação do seu serviço, ou ainda, se cadastram em plataformas de freelas.

 

Cada freelancer possui um perfil que pode ser compatível ou não com o empreendedor. É só pedir portfolio, currículo e carta de apresentação, se aplicável, para conhecê-lo melhor.

 

A seguir, é aconselhável que ambos assinem um contrato, em que deve conter dados sobre o projeto e obrigações suas, como cliente, e do freelancer. Posteriormente, à medida que os serviços forem realizados, você deverá receber as notas fiscais referentes a eles.

 

Dessa forma, o freelancer tem muito o que acrescentar ao empreendedor, especialmente quando as demandas são online. Além disso, a prestação de serviços é regulamentada e oferece poucos riscos ao contratante.

 

Se ficou alguma dúvida sobre esse artigo, comente logo abaixo! 

 

Já conhece um freelancer? Então não deixe seu projeto continuar no papel! Teste gratuitamente o SparkFunnels e lance seu produto digital.

Mais artigos para você

5 ferramentas e técnicas de tomada de decisão obrigatórias para empreendedores

Uma decisão errada pode ajudar ou atrapalhar um negócio. E os empreendedores precisam tomar centenas de decisões todos os dias. …

Tráfego pago: o que é e como funciona

Tráfego pago é uma ferramenta de marketing digital que possibilita alavancar os acessos ao seu site ou blog. Por meio …

Links Patrocinados: o que é e quais ferramentas utilizar

Links patrocinados são as melhores soluções para as desvantagens do tráfego orgânico. Por mais que você prefira um posicionamento no …

Estudo online: Boas práticas para manter foco do aluno

Veja dicas de como garantir que seus alunos se engajem no estudo do seu curso online   Em tempos de …

O que é Marketing de Conteúdo?

Se você é um empreendedor digital e ainda não sabe o que é Marketing de Conteúdo, não se preocupe, ainda …

Plataforma de EAD: como escolher a sua

Muito se fala sobre a necessidade de reformar a educação brasileira, por isso, a plataforma de EAD pode ser um …