empreender com a herospark

Se você é um empreendedor digital e ainda não sabe o que é marketing de conteúdo, não se preocupe: ainda dá tempo de entendê-lo e aplicá-lo para valorizar o seu público-alvo nas estratégias de marketing do seu negócio. É fundamental conhecer esse conceito, saber como usar as palavras-chave e melhorar seu conteúdo para aumentar as vendas e captar mais clientes.

 

Em 1895, a abordagem do marketing de conteúdo surgiu pela primeira vez com John Deere, fundador de uma das principais empresas de tratores do mundo, a Deere & Company. O empresário criou a revista The Furrow que, diferentemente do material daquela época, não tinha como objetivo simplesmente fechar vendas, mas ensinar sobre tecnologias inovadoras que auxiliassem os fazendeiros (público-alvo) em suas rotinas.

 

Na essência, o marketing de conteúdo continua o mesmo ao longo desses 126 anos. Depois da revista The Furrow, outro case de sucesso foram os guias da Michelin, que divulgavam o turismo para favorecer o mercado automobilístico, em 1900. Depois disso, o marketing de conteúdo foi se tornando cada vez mais popular e especializado.

 

Isso se deve, em grande parte, à alta demanda por conteúdo que temos atualmente. Segundo uma estatística feita em 2015 pela DemandGen, uma fonte de pesquisa de marketing de conteúdo, 75% dos compradores B2B confiam nesses materiais como meio de pesquisas quando eles estão estudando para fazer uma decisão de compra.

 

Então, se você quer melhorar o seu relacionamento com o seu público-alvo, aumentar o seu tráfego, fazer os novos clientes avançarem na jornada de compra e, consequentemente, aumentar as suas vendas, venha entender o que é marketing de conteúdo. Assim, você poderá implementar essa estratégia na sua empresa e ter um marketing eficaz.

 

O que é marketing de conteúdo?

 

​Basicamente, o marketing de conteúdo é uma estratégia de marketing baseada na publicação de materiais informativos e relevantes para o seu público-alvo. “O marketing e a publicidade tradicionais dizem ao mundo que você é uma estrela do rock. O marketing de conteúdo mostra ao mundo que você é um”, diz Robert Rose, um dos diretores do famoso Content Marketing Institute.

 

Mas, é claro que existe uma definição mais formal, do mesmo instituto, para explicar o que é marketing de conteúdo. Para facilitar, vamos dispô-la em tópicos:

 

  • É uma abordagem estratégica do marketing;
  • Tem foco na criação e distribuição de conteúdo oportuno, de valor e consistente;
  • Seu objetivo primário é atrair e reter um público específico;
  • Seu objetivo secundário é impulsionar alguma ação lucrativa por parte dessa audiência.

Esse tipo de marketing pode produzir diversos materiais. São alguns exemplos de tipos de marketing de conteúdo: redes sociais, infográficos (muito frequentes no Pinterest), artigos de blog, podcasts, e-books, vídeos e mídia paga. Veremos alguns desses formatos de forma específica mais adiante.

 

A variada quantidade de tipos de marketing de conteúdo é explicada pelo fato que, cada formato dos conteúdos produzidos podem reter visitantes e, eventualmente, gerar conversões e vendas, tornando maiores as chances dos novos clientes concluírem a jornada de compra, além de ajudar a fidelizar antigos compradores.

 

Nos últimos anos, acredita-se que os novos formatos de marketing de conteúdo serão: as transmissões ao vivo, o conteúdo otimizado para pesquisa de voz, as experiências de realidade aumentada (como já é possível observar nos filtros do Instagram) e o conteúdo adaptado com base nos dados coletados, como a localização, o comportamento online ou demográfico.

 

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

 

Canais para o marketing de conteúdo

 

Para saber o que é marketing de conteúdo, também é preciso entender suas diversas ramificações. É fundamental compreender que ele vai muito além de escrever um texto ou fazer um post para redes sociais. Para que os resultados cheguem, os conteúdos produzidos precisam ser bem arquitetados. Assim, é preciso ter as datas da publicação, o formato, o canal, as metas e o avatar bem definidos. Confira, então, quais são os principais canais para essa estratégia de marketing:

 

1. Blog

 

Uma estratégia de marketing de conteúdo eficiente passa pela criação de um blog. Isso acontece porque esse canal tem domínio próprio e você consegue ter total controle em todas as ações de marketing de conteúdo relacionadas a ele.

 

O blog é uma das maneiras mais comuns para atrair o público-alvo e também novos clientes. A partir de conteúdos relevantes e otimizados para os mecanismos de busca, o seu blog terá um tráfego, no mínimo, razoável. Também é preciso que as publicações sejam regulares. Para isso, faça um calendário de postagens e um planejamento de pautas.

 

2. E-books

 

O e-book é um ótimo marketing de conteúdo para quem já está quase no final da sua jornada de compra, visto que ele se encaixa melhor em conteúdos mais longos. Geralmente, nesse momento, as pessoas querem mais informação, pois estão interessadas no produto e prestes a concluir a compra.

Sem contar que os e-books transmitem autoridade e confiabilidade para o público-alvo.

 

Com uma boa divulgação nas redes sociais, dificilmente o seu e-book não será compartilhado. Essa é uma forma de marketing de conteúdo barata, que não requer muita infraestrutura. Por outro lado, exige maior esforço de pesquisa e organização.

 

Se interessa por e-books? Então, veja os 6 passos para criar um ebook de graça:

 

3. Webinars

 

Entre as vantagens do webinar vale destacar:

 

  • Dar um tom de proximidade na relação com o seu público-alvo;
  • Estabelecer contato com novos clientes;
  • Conhecer pessoas relevantes do seu mercado.

O webinar não precisa de recursos caros para a sua realização, é possível ser feito apenas com a câmera e o microfone do celular e um aplicativo ou programa para editar o vídeo.

 

É evidente que, quanto melhor a sua infraestrutura, maior a qualidade desse marketing de conteúdo. Consequentemente, você irá passar mais credibilidade ao seu público-alvo. Os webinars podem ser gravados ou ao vivo. Além disso, algumas ferramentas viabilizam e ajudam na sua realização.

 

4. Infográficos

 

O infográfico é um marketing de conteúdo que reúne informações visuais e escritas, e que facilita o entendimento do leitor por meio de gráficos, imagens e dados. Eles funcionam muito bem na hora de atrair leads, uma vez que demandam menos tempo de leitura do que um e-book ou de visualização que um webinar, por exemplo. Há softwares de edição e criação de imagens, além de ferramentas gratuitas, que ajudam você a fazer o seu infográfico.

 

5. Vídeos

 

Os vídeos podem ser aplicados dentro de estratégias de marketing de conteúdo para amplificar os seus resultados. Eles podem ser usados em posts de blogs ou nas redes sociais em formato de mini vídeos estimulantes ao público-alvo, que expliquem ou demonstrem o produto. Outra opção, que exigirá mais esforço, é criar um canal no YouTube, ou em outras plataformas de vídeo, e abastecê-lo frequentemente com conteúdos.

 

6. Redes sociais

 

Depois do blog, são os canais de marketing de conteúdo mais conhecidos. As redes sociais ganharam muita força com o marketing digital, já que podem desempenhar várias funções, por exemplo: atrair novos clientes, estreitar o relacionamento com o seu público-alvo e até mesmo aumentar as vendas.

 

Além disso, elas são, para muitas pessoas, o principal canal usado para consumir conteúdo, informação e entretenimento. Os conteúdos produzidos são baratos, têm um alto poder de disseminação de materiais e são poderosos geradores de leads e tráfego para o seu site.

 

Com isso, as redes sociais não são só um meio de divulgação, mas um canal ativo do marketing de conteúdo. Como elas são multimídias, os conteúdos produzidos devem variar entre textos, infográficos, montagens, vídeos, transmissões ao vivo, concursos, fotografias, gifs e muito mais. Mas, é preciso estar atento a alguns comportamentos.

 

Elas não são locais para você abordar clientes por postagens corporativas e vendedoras, são para criar um relacionamento com o seu público-alvo e, depois, oferecer ofertas discretas e arquitetadas. Não antecipe os estágios da jornada de compra.

 

Contudo, não adianta ter rede social e nenhuma interação. Para engajar a sua audiência, nada melhor que o marketing de conteúdo. Faça postagens relevantes e regulares, já as ofertas devem ser feitas na hora certa. Da mesma forma, lembre-se de mensurar os seus resultados para saber o que está funcionando na sua estratégia de marketing.

 

7. E-mail Marketing

 

O e-mail marketing muitas vezes é subestimado pelas pessoas. Entretanto, é mais uma oportunidade de colocar em prática o marketing de conteúdo, atraindo novos visitantes e aprofundando relacionamentos com a sua base de contatos. Engana-se quem pensa que o e-mail é apenas uma ferramenta para notificações e mensagens.

 

Ele é barato, rápido e pode aumentar significativamente as suas taxas de conversão. Aposte no envio de conteúdos de acordo com a jornada de compra do consumidor e envie também newsletters e divulgações dos novos materiais e promoções. Assim, você investe na nutrição de leads.

 

Essa é uma ferramenta que, se usada de forma correta, irá educar e motivar potenciais, antigos e novos clientes a consumir. Porém, se for feita a compra de listas de e-mail, não dará certo. Isso porque essas pessoas não irão conhecer a sua marca, muito menos irão demonstrar interesse na sua empresa, que também ficará mal vista.

 

Além disso, corre o risco de usuários marcarem a postagem como spam, manchando a reputação da empresa com os próprios serviços de e-mail que, provavelmente, passarão a considerar todos os seus envios como spam. Sendo assim, no e-mail marketing você deve gastar esforços com a segmentação do seu público-alvo e definir uma boa regularidade nos envios.

 

Para escrever bons emails, veja os 77 modelos de headlines para email marketing que preparamos.

 

Marketing de conteúdo e o mercado

 

É importante ressaltar que o marketing de conteúdo tem crescido muito no mercado brasileiro nos últimos anos. Apesar disso, a quantidade de empresas que usam o utilizam ainda não é tão elevada, e o percentual delas que levam esse tipo de marketing mais a fundo é ainda menor. Por isso, apostar nessa estratégia é um diferencial.

 

De acordo com a Content Trends 2019, pesquisa feita pela Rock Content com 4.769 participantes de diversas indústrias e áreas de atuação do Brasil, 67,3% das empresas adotam marketing de conteúdo. 36% apontaram não conhecer a estratégia e, portanto, não a utilizam. No entanto, das pessoas que não utilizam, 56,9% pretendem passar a utilizar.

 

Veja agora os resultados das empresas que utilizam o marketing de conteúdo, de acordo com a mesma pesquisa: essas empresas conseguiram 1,3 mais visitas no site e 1,4 vezes mais leads. São números surpreendentes.

 

Por que esse tipo de marketing é importante?

 

1. Ajuda na conexão com os clientes

 

Agora que você já entendeu o que é marketing de conteúdo, chegou a hora de entender as vantagens dessa estratégia de marketing. A primeira é que ele é fundamental para a conexão com o público-alvo e, principalmente, com os novos clientes, o que é essencial para que eles avancem em suas jornadas de compra.

 

Existem projeções de que, até o ano de 2023, mais de 7 bilhões de pessoas em todo o mundo terão um smartphone (hoje, esse número é em torno de 5,1 bilhões). Levando em conta que a população mundial já é de 8 bilhões, quase todos os habitantes do planeta poderão acessar um dispositivo móvel no futuro.

 

Isso quer dizer que o seu negócio nunca teve tantas chances de atingir um público realmente global. Assim, tudo indica que essa é a melhor (e talvez única) forma de se conectar de verdade com uma audiência grande e diversa.

 

Se você somente investe em tráfego pago, saiba que resumir a comunicação entre sua empresa e consumidores em anúncios não é uma boa ideia. Portanto, cada mensagem deve ser pensada, e é isso que a estratégia de marketing de conteúdo faz.

 

2. É uma estratégia que difere das superficiais

 

Independentemente do tamanho da sua empresa, os consumidores querem informações relevantes e confiáveis. Isso é impossível quando se faz uso apenas de uma comunicação rasa e com pouco preparo.

 

O público não se contenta apenas com memes e deep fakes, aliás, esses conteúdos só reforçam a necessidade de um conteúdo genuíno e sincero por parte das marcas. A percepção de valor é diferente quando uma marca investe em marketing de conteúdo.

 

E mais: assumir um compromisso com o cliente, deixar clara a reputação e o caráter da empresa e dar visibilidade às avaliações do produto também são premissas dessa abordagem, que comprovam como é possível demonstrar compromisso com os consumidores.

 

3. Marketing de conteúdo é barato

 

O corte de gastos é uma prática que, 100% do tempo, é bem-vinda para qualquer tipo de empresa. Economizar melhora a margem de crescimento e o marketing de conteúdo também possibilita isso.

 

Além de custar 62% menos que o marketing tradicional, ele é capaz de gerar leads com maior qualidade e mais vendas a longo prazo. Esses são dados da Demand Metric, que afirma que 78% dos diretores de marketing acreditam que o conteúdo personalizado é o futuro do marketing.

 

Ter o objetivo de criar um relacionamento com os consumidores, ser empático e considerar as suas necessidades é um aspecto positivo para qualquer marca. Então, um marketing de conteúdo dirigido às necessidades e aos desejos dos potenciais clientes proporciona mais envolvimento das pessoas com a empresa.

 

Em alguns casos, ao ver um comentário negativo, há leads que até defendem a empresa. Além disso, o marketing de relacionamento pode ser exercido por vários canais, desde redes sociais até e-mail marketing e customer success.

 

4. Educa o mercado

 

Seu produto pode até ser bom. Na verdade, excelente. Mas, se as pessoas não sabem o que ele é e como funciona, elas não irão comprá-lo. Dessa forma, o marketing de conteúdo entra em cena novamente.

 

Ele instrui a respeito da sua solução e isso, por si só, aumenta as chances de vendas. Essa estratégia também é responsável por ajudar os visitantes a terem a percepção do que eles precisam. Por meio do funil de vendas, é possível conscientizá-los até que eles entendam se precisam ou não do produto ou serviço em questão e, muitas vezes, eles precisam, só não tinham conhecimento disso.

 

Com o processo de venda concluído, seu cliente pode ter dúvidas de como usar ou como potencializar o produto ou serviço. Então, o conteúdo também pode assumir essa meta de instrução e esclarecimento de dúvidas no pós-venda.

 

Como aplicar o marketing de conteúdo?

 

1. Defina seus objetivos

 

O principal objetivo atrelado ao marketing de conteúdo é construir percepção de marca e autoridade no tema. Mas, com ele, você também pode:

 

  • Aumentar seu ranqueamento nas ferramentas de busca;
  • Melhorar a conversão e nutrir leads;
  • Converter clientes novos;
  • Dar suporte ao atendimento ao cliente;
  • Reter e fidelizar consumidores;
  • Aumentar as vendas com upsell (técnica de venda em que se oferece ao consumidor um produto melhor e, normalmente, mais caro do que o item pelo qual ele se interessou inicialmente).

Assim, cada uma dessas finalidades implica em diferentes indicadores de desempenho (KPIs), que são dados quantificáveis que você pode usar para medir seu desempenho real em relação ao seu objetivo.

 

2. Determine seus KPIs

 

Vamos supor que seu objetivo seja aumentar a conversão. Algumas sugestões de KPI são: taxa de conversão, taxa de abandono do carrinho de compras e tendências de preços competitivos. Mas, se com o marketing de conteúdo você busca gerar envolvimento do público com a sua marca, os KPIs são as curtidas, compartilhamentos, novos seguidores e menções, por exemplo.

 

3. Escolha os canais

 

Como você leu neste texto, existem vários formatos de entrega de conteúdo, desde os bons e velhos artigos de blog até as redes sociais mais recentes. Para escolher os melhores canais de marketing, tente nortear-se com perguntas como estas:

 

  • O que seus consumidores precisam e você já oferece?
  • Quais desafios online e offline eles podem enfrentar?
  • Por que eles precisam do seu produto ou serviço? Quais resultados eles podem obter?
  • De que forma você pode ajudá-los a ter sucesso? Com guias e pesquisas?
  • Onde eles passam mais tempo: no Instagram ou no Facebook? Qual o seu grau de conhecimento no canal mais acessado?

4. Estabeleça o orçamento

 

Para entender qual parte do seu orçamento será destinado ao marketing de conteúdo, vale a pena orientar-se também por perguntas:

 

  • Você precisa adquirir algum software ou app para criar o conteúdo?
  • Será necessário contratar profissionais de marketing ou designers?
  • Vai ter a necessidade de impulsionar seus conteúdos?

 

Se você tem dificuldades sobre isso, lembre-se de grandes cases envolvidos com o marketing de conteúdo, como o da Onix Security: a Onix é uma empresa de circuitos fechados de TV. Seu objetivo com esse tipo de marketing era posicionar-se como autoridade no seu segmento e gerar mais faturamento. Somente com um site otimizado e um blog, ela conseguiu aumento de 153% no tráfego orgânico e em média de 8000 visitas mensais na página sem pagar publicidade alguma.

 

5. Crie e distribua o conteúdo

 

Nesta penúltima etapa, você deve criar o conteúdo, mas de forma inteligente. O melhor meio de fazer isso é utilizando um calendário editorial, que propõe direcionamentos que ajudam a manter a constância na produção. Mas, há quem faça de forma mais livre: funciona também.

 

O mapa da empatia é outro recurso interessante para essa fase. Ele oferece a possibilidade de conhecer melhor os seus clientes e, assim, ser mais assertivo no marketing de conteúdo. As seis perguntas que compõem o mapa são responder:

 

  • O que meu cliente pensa e sente?
  • O que ele escuta?
  • Meu cliente fala e faz o quê?
  • O que ele vê?
  • Quais são as suas dores?
  • Quais são seus ganhos?

6. Analise os resultados

 

Enfim, é hora de apreciar o seu trabalho e avaliar o que deu certo ou não. Comece com a análise dos seus objetivos e dos indicadores de desempenho utilizados. Você alcançou o que esperava? Se não, o que impediu? Algumas ferramentas de planejamento estratégico também ajudam, como a matriz SWOT.

 

O que não pode faltar no marketing de conteúdo

 

Agora que você já sabe o que é marketing de conteúdo, o que ele pode fazer pelo o seu negócio e os seus principais aspectos, chegou a hora de entender também o que os conteúdos produzidos precisam ter para que essa estratégia de marketing dê resultados.

 

Para funcionar, é fundamental que o marketing de conteúdo seja aliado ao uso de palavras-chave. Isso porque elas melhoram o seu SEO (Search Engine Optimization). Um bom SEO significa que os conteúdos produzidos terão um bom ranqueamento em sites de procura, como o Google, plataforma na qual a maioria das pessoas pesquisam sobre tudo hoje em dia. Além disso, as palavras-chave também ajudam a impulsionar os posts de redes sociais.

 

O que são palavras-chave?

 

Palavras-chave, ou keywords, são termos compostos por uma ou mais palavras que são o principal instrumento de pesquisa. Por meio das palavras-chaves as pessoas escrevem as suas dúvidas, esperando em troca uma resposta dos motores de busca. Todas as pesquisas são originadas em um ou mais termos.

 

Importância das palavras-chave

 

No marketing, as palavras-chave desempenham uma função muito importante: dão um direcionamento durante a criação de sites, páginas, blogs e posts. Em outras palavras, ao definir e usar os principais termos presentes naquele texto, ou seja, as palavras-chave, você está dizendo aos motores de busca que o seu conteúdo trata de um assunto relacionado àqueles termos específicos.

 

Caso as palavras-chave definidas por você sejam escolhidas corretamente, ao pesquisar esses termos o usuário irá encontrar o seu conteúdo no topo das buscas, aumentando as chances dele acessar os conteúdos produzidos pela sua marca e também desses materiais alcançarem o público-alvo. Dessa forma, as palavras-chave impulsionam o marketing de conteúdo.

 

Como usar palavras-chave?

 

Para saber quais são as palavras-chave que irão trazer mais resultados ao marketing da sua empresa, você precisa levar em conta alguns fatores antes de defini-las:

 

1. Avatar

 

As palavras-chave devem responder às dúvidas e questionamentos ou, no mínimo, estarem relacionadas às necessidades do seu avatar. Uma dica para fazer isso é perguntar-se como o seu público-alvo pesquisaria nos mecanismos de busca sobre aquele assunto.

 

2. Saber qual o objetivo da sua estratégia marketing

 

Saber qual o objetivo da estratégia de marketing irá ajudar a definir as suas palavras-chave. Depois que descobrir quais as metas com o seu marketing de conteúdo, é fundamental que elas funcionem como um direcionamento para você.

 

Todas as ações de marketing que foram realizadas devem ser para tentar alcançar essas metas. Por exemplo, se a sua empresa está buscando finalizar a jornada de compra de novos clientes, de modo a aumentar o número de vendas, o conteúdo deve impulsionar a compra. Por esse motivo, aposte em palavras-chave ou termos como “review”, “comprar”, “benefícios” e “vantagens”.

 

3. Use ferramentas práticas que auxiliam no marketing de conteúdo

 

Algumas ferramentas específicas para encontrar palavras-chave podem ajudar você no marketing de conteúdo. O intuito desses mecanismos é definir quais palavras-chave são relevantes. São alguns exemplos de ferramentas práticas:

  • Google Keyword Planner;
  • Google Trends;
  • Semrush;
  • UberSuggest;
  • Keywordtool.io.

4. Pesquise sobre os seus concorrentes

 

Caso você tenha concorrentes que já trabalham com marketing de conteúdo, uma dica é dar uma olhada no que eles estão fazendo por lá. Em especial, preste atenção em quais palavras-chave eles estão usando e em como estão tratando com o público-alvo as questões ligadas aos produtos. Isso servirá para descobrir o que não é feito por eles.

 

Assim, sua empresa pode atacar esses pontos fracos. Além disso, analise e identifique os pontos fortes da concorrência, a fim de superá-la. Mas, como ficar de olho na estratégia de marketing de conteúdo do meu concorrente?

 

Você pode usar ferramentas específicas para essa análise ou monitorar os resultados orgânicos dele no buscador, acompanhar as suas redes sociais e newsletters. Para confirmar se os conteúdos produzidos estão no caminho certo, você também pode fazer uma pesquisa sobre grandes players do mercado, mesmo que eles não sejam diretamente os seus concorrentes.

 

Essas empresas provavelmente terão abordagens de marketing de conteúdo e de palavras-chave inovadoras e agregadoras para solucionar as dúvidas do público-alvo.

 

5. Considere a jornada de compra

 

Considerar a jornada de compra é fundamental, não só para definir corretamente as palavras-chave, mas também para um bom marketing de conteúdo. Você deve considerar o estágio em que novos clientes estão no funil de vendas. Os conteúdos produzidos para eles precisam ser diferentes daqueles feitos para quem já comprou o seu produto, concorda?

 

Os estágios da jornada de compra devem moldar o marketing. Por exemplo, para aqueles que estão prestes a comprar o seu produto, você pode fazer textos com cases de sucessos ou comparação entre soluções de mercado. Assim, é oferecido um incentivo para que esses novos clientes terminem a sua jornada de compra e adquiram o produto ou serviço.

 

6. Não force o uso de palavras-chave

 

Não adiantará nada usar palavras-chave nos conteúdos produzidos se a expectativa do público-alvo não for atendida e os seus problemas solucionados. Se as palavras-chave ao longo do texto não manterem a naturalidade e sentido as questões do público provavelmente não serão resolvidas, o que coloca todo o seu marketing de conteúdo em risco.

 

Lembre-se que os conteúdos produzidos devem atender primeiramente as pessoas, e não aos critérios de SEO do Google. O princípio do marketing de conteúdo é a relevância.

 

Como otimizar os conteúdos com palavras-chave?

 

Chegou o momento de entender como adaptar, por meio de palavras-chaves, os seus conteúdos ao SEO. Não basta os termos escolhidos aparecerem apenas nos conteúdos produzidos, eles devem aparecer também em alguns outros locais.

 

1. Meta-descrição

 

Para que o seu marketing de conteúdo seja efetivo, as palavras-chave precisam estar presentes também na meta-descrição, um pequeno texto descritivo que aparece no Google. Além disso, a meta-descrição deve ser direta e estimulante.

 

2. URL

 

É fundamental fazer URLs amigáveis, visando uma melhor experiência para o usuário e uma otimização dos conteúdos produzidos. A URL é o próprio endereço do site, que por sua vez, deve ser simples e objetivo. Para isso, inclua palavras-chave nela.

 

3. SEO Title

 

Diferentemente do título da página, o título do SEO é aquele que irá aparecer quando o seu conteúdo for exibido nas pesquisas dos motores de busca e no compartilhamento de redes sociais. Por isso, as palavras-chaves devem aparecer no SEO title.

 

4. Title tag

 

Por fim, as palavras-chave devem aparecer nos títulos internos dos artigos, também conhecidos como subtítulos ou intertítulos. A title tag tem como objetivo garantir que o leitor permaneça na sua página e continue lendo o seu artigo. As palavras-chave podem aparecer em qualquer local dos títulos internos, mas devem necessariamente estar presentes em algum lugar.

 

Tipos de palavras-chave

 

Para montar uma boa estratégia, além de saber o que é marketing de conteúdo, você deve entender os tipos de palavras-chave e definir qual deles é melhor para o que a sua empresa está buscando em um determinado momento.

 

1. Head tail keywords

 

Esse tipo de palavras-chave tem como objetivo fazer o público-alvo da sua empresa sintetizar em alguns termos a sua empresa e os produtos ou serviços prestados. Por isso, são genéricos. Geralmente, as head tail keywords representam todo um segmento de negócio e podem fazer parte de vários conteúdos.

 

Assim, elas acabam com um volume de busca imenso e, consequentemente, muita concorrência. Esse tipo de palavra-chave atrai muitas pessoas do seu público-alvo. No entanto, para que isso aconteça, você precisa de um trabalho intenso e mais longo de marketing que use também outras técnicas de SEO.

 

2. Long tail keywords

 

O foco das palavras-chave long tail é capturar o público-alvo com termos mais específicos. Elas são capazes de gerar tanto quanto, ou até mais, tráfego para os conteúdos produzidos do que termos genéricos e famosos. Apesar de terem um volume menor de busca, esse tipo de palavra-chave consegue um bom ranqueamento em menos tempo.

 

Palavras-chave e redes sociais

 

Como dito anteriormente, as palavras-chave podem ajudar na divulgação dos conteúdos produzidos para redes sociais. Mas, não é só isso! Você pode procurar pelo seu público-alvo nas redes sociais mais importantes para o seu negócio. A partir de então, faça uma pesquisa sobre as formas como eles se comunicam e buscam esclarecer dúvidas sobre os assuntos, definindo assim questões importantes sobre linguagens.

 

Esses aplicativos ainda funcionam como uma oportunidade para ter ideias de conteúdos. Isso porque, analisando o seu público-alvo, você descobre quais são as possíveis dúvidas em relação à sua marca. Então, basta abastecer o seu marketing de conteúdo com as soluções para essas perguntas.

 

Hashtags

 

Não se esqueça das hashtags: elas são importantes pois permitem que os conteúdos das redes sociais sejam indexados pelo Google. Ainda funcionam como hiperlinks que reúnem todas as postagens em uma só busca. Publicações nas redes sociais, como anexos, imagens e legendas, não são indexadas pelos robôs do Google.

 

No entanto, uma ressalva deve ser feita: as hashtags precisam ter relação com o assunto do conteúdo. Se usar várias delas sem motivos, a sua audiência irá pensar que a sua marca quer apenas visualizações, e não resolver os problemas do consumidor.

 

Além disso, pesquise as hashtags mais usadas e crie outras que fortaleçam a parte institucional do seu negócio, ou seja, que reflitam os costumes e os valores da empresa. Desse modo, você cria uma comunidade e um relacionamento em torno do uso de uma determinada hashtag, impulsionando a sua utilização pelo seu público-alvo.

 

O marketing de conteúdo é um método cada vez mais necessário no meio digital. Seja qual for o seu objetivo, ele provavelmente vai ajudar por meio da conexão com o público-alvo, educação do mercado, melhor uso de palavras-chave e relacionamento com o cliente.

 

Se você gostou desse conteúdo, deixe o seu comentário para sabermos!

vender cursos online herospark

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *