Um infoproduto nada mais é do que um conteúdo em formato digital, normalmente criado para levar informação e conhecimento e solucionar algum problema de quem o consome.

Assim, criar o seu próprio infoproduto é uma excelente alternativa tanto para quem ainda não empreende e deseja fazer de seus produtos digitais sua renda extra, como para aqueles que querem encontrar uma renda principal.

Mas, além disso, produtores de negócios físicos também podem usar as vantagens dos infoprodutos para escalar o seu negócio com baixo investimento. Continue a leitura e descubra os passos para criar um infoproduto de sucesso.

O que é um infoproduto?

Como explicamos no início deste post, infoprodutos são produtos digitais criados com o objetivo de auxiliar e “facilitar a vida” de quem os consome.

Por exemplo: quando adquirirmos um curso online, um e-book ou um programa de consultorias digitais, normalmente estamos em busca de conhecimento como solução para algum problema que temos, certo?

Assim, para quem produz, o infoproduto tem algumas características vantajosas, como: 

  • Investimento único para a criação do infoproduto (que normalmente é muito menor do que o de um produto físico);
  • É relativamente mais fácil para os consumidores encontrarem o seu produto por meios digitais;
  • É possível vender com com a ajuda de afiliados;
  • Existe a possibilidade de realizar a venda em escala (você cria um único produto e com ele consegue ter resultados constantes);
  • É possível atuar com diferentes tipos de produtos e meios de consumo, podendo adequar como for melhor para a sua persona.

 

Quanto custa fazer um infoproduto?

O valor para criar um infoproduto pode variar bastante. Depende muito do tipo e formato do produto, tempo para produção e ferramentas utilizadas. 

Independentemente de suas escolhas, criar um infoproduto quase sempre é muito mais barato do que criar um produto físico parecido.

Por exemplo: criar um curso online é muito mais barato do que abrir uma escola para aulas presenciais.

 

Como vender infoprodutos?

A base de qualquer estratégia é vender o produto certo para as pessoas certas. Isso significa definir com precisão o seu nicho de mercado e saber quem é o seu público-alvo.

A partir daí, você precisa criar uma oferta irresistível a uma máquina de vendas. Entre as estratégias, podem estar: site, e-mail marketing, redes sociais, afiliados e o que mais você achar pertinente para seu público e produto. Essas estratégias servem para todos os tipos de infoprodutos.

Feito isso, o primeiro passo para fazer os lançamentos é construir uma audiência cativa, por meio de estratégias de criação de conteúdo. 

 

Quais são os infoprodutos que mais vendem?

1. E-book

Produzir um e-book talvez seja a porta de entrada para você que quer investir em produtos digitais. Afinal, os livros digitais são fáceis de criar e ainda mais fáceis de comercializar. Basta escolher o conteúdo certo e colocar a mão na massa. 

No entanto, construir o seu e-book requer alguns cuidados. Afinal, você precisa impressionar o seu público não apenas pelo conteúdo, mas pelo capricho com o material que irá vender.

Por isso, preste atenção na questão visual, tanto a diagramação do texto quanto da imagem. 

Você pode recorrer a ferramentas gratuitas, com templates que vão ajudar o seu e-book ficar super atraente, como o Canva. É só usar a criatividade e escolher o conteúdo que o seu público mais procura.

 

2. Webinar

O webinar é uma palestra ou reunião virtual gratuita, que pode ser gravada ou ao vivo. 

É importante ressaltar que um webinar precisa ser bem pensado dentro de uma estratégia de marketing para o seu negócio. Ele exige que você já tenha uma audiência cativa, que pode ser conquistada por um e-book, infográfico ou posts em redes sociais, por exemplo. 

Existem várias possibilidades para o webinar, como dar aulas ou oferecer mentorias coletivas, por exemplo.

 

3. Curso online

Se você tem muito conhecimento sobre algum tema, um curso online pode ser o produto certo.

Ele exige bastante esforço e dedicação, mas é recompensador.

Entre as atividades estão: 

  • O planejamento das aulas;
  • A produção de conteúdo, materiais de apoio e aulas;
  • Toda a estratégia de venda e retenção de alunos;
  • A escolha de uma boa plataforma para hospedar o curso.

Segundo alguns dados levantados pela HeroSpark através da plataforma SEMRush, que analisa a quantidade de pesquisas do Google, estes são alguns temas de curso online que estiveram em  alta em 2021:

  • Design de sobrancelha;
  • Manutenção de celular;
  • Design de interiores;
  • Técnico em radiologia.

 

 

4. Serviço por assinatura

Na internet, fazer parte de uma comunidade é o que mais engaja e incentiva o seu público a comprar de você.

Por isso, investir em um produto digital que oferece conteúdo exclusivo apenas para membros, por meio de vendas por assinatura, pode ser uma ideia de sucesso para o seu negócio.

Um dos principais diferenciais das vendas por assinatura é que elas são recorrentes. Ou seja, você pode vender todos os meses para o mesmo cliente

Mas, para isso, é necessário ter conteúdo de grande valor e que seja atualizado com frequência. Caso contrário, o cliente optará por opções que garantam acesso perpétuo ao conteúdo.

 

5. Mentoria

Se você é especialista em algum assunto, outra possibilidade além do curso online é a mentoria.

Para começar, proponha uma sessão gratuita. Assim, além de ativar o gatilho da reciprocidade, você tem a chance de mostrar um pouco do seu potencial e conhecimento.

Sua mentoria pode ser feita tanto individualmente como em grupo.

Para mentoria em grupo, procure o auxílio de ferramentas que ajudem no relacionamento com o seu público, como WhatsApp, Telegram ou Facebook.

Agora que você já entendeu o que é um infoproduto, o que precisa para criar o seu e quais tipos pode criar, chegou a hora de colocar as mãos na massa!

 

Como criar infoprodutos do zero?

 

1. Saiba quem é o seu público

Primeiro grande erro da maioria dos infoprodutores: criar um produto baseado no que você acha que as pessoas querem comprar.

Muitas empresas perdem dinheiro por criar um produto inteiro só baseado no “feeling”.

Portanto, antes de sequer pensar no produto, pense o seguinte:

  1. Qual é o “nicho” do seu infoproduto,isto é, sua temática principal?
  2. Qual é o público que você quer atingir?
  3. Quais são as principais dificuldades, necessidades e desejos deste público?

Para ficar ainda mais fácil, faça uma lista com todas as dificuldades, problemas e necessidades de cada possível público que você listar, do óbvio ao mais elaborado. Também vale a pena fazer uma pesquisa por palavras-chave, isso pode ajudar a entender dor do seu público.  

 

Exemplo de definição de público

Nicho: Exercício Físico

Público-alvo: Mães sedentárias

Dores:

  • Se sente insatisfeita com seu corpo;
  • Alega que não tem tempo para malhar;
  • Não tem onde deixar os filhos na academia;
  • Tem dificuldade em distribuir o tempo entre cuidar dos filhos e cuidar de si mesma.

Entendeu o exercício? Pratique e siga para o próximo passo!

 

2. “Crie pontes” para a audiência

Imagine um cenário onde existe um ponto A, um ponto B e uma ponte entre esses dois pontos.

Imagem ofertando o e-book gratuito de funis americanos

O ponto “A” é onde o seu cliente está agora, com o problema que ele tem hoje. Pegando o exemplo do exercício anterior: uma mãe sedentária, sem tempo, desmotivada e insatisfeita com seu corpo.

O ponto “B”, é onde o seu cliente quer chegar,  com o problema resolvido. Ainda no exemplo anterior, seria uma mãe feliz com seu corpo, se exercitando todos os dias, motivada, com boa administração de seu tempo.

A ponte entre o cenário “A” e o cenário “B” deve ser o seu infoproduto. 

 

3. Defina a solução

Existem dois principais jeitos para você criar o seu infoproduto: ter um produto próprio, exclusivamente seu, ou fazer uma coprodução.

Se você consegue criar a “ponte” (ou seja, prover a solução que o seu cliente precisa) com o seu expertise, crie o produto por conta própria. Assim, o lucro será todo seu.

Mas, caso não consiga resolver as dores do público-alvo apenas com seu conhecimento, convide especialistas de outras áreas para enriquecer o seu produto.

Pode ser um produto inteiro coproduzido ou um módulo especial, dependendo da necessidade. 

Da mesma forma que o retorno para este coprodutor, que pode ser através de um pagamento único (vocês combinam um valor pela participação dele), ou um percentual em cima de cada venda.

 

4. Defina o nome do seu produto

Agora que você já definiu exatamente como será o seu produto e como ele irá ajudar o seu público, chegou a hora de dar um nome a ele.

Os nomes de uma marca ou infoproduto podem ser divididos em algumas categorias:

  • Descritivo: é o mais comum entre os infoprodutos, pois diz exatamente qual é a promessa do seu produto. Por exemplo: Programa de Exercícios para Mães.
  • Sugestivos: também é interessante, pois emprega certa originalidade, mas ainda sugere qual é a promessa do produto. Por exemplo: Mamãe Em Forma em Casa.
  • Arbitrários: este último é mais indicado para quando o infoprodutor já tem uma certa autoridade e poderá empregá-la ao produto. Não precisa ficar claro no nome qual a promessa do produto, e poderá gerar curiosidade em seus clientes. Por exemplo: Programa MFC.

 

5. Defina o formato do infoproduto

Quando você souber qual é o seu público, e qual problema seu produto resolve, fica mais fácil pensar em formato. Para escolher, considere:

  1. O que será preciso para produzir o infoproduto no formato escolhido. Se você escolheu um curso online, por exemplo, deverá pensar em como irá gravar, editar, produzi-lo no geral.
  2. A preocupação com gravação e edição também deve ser considerada se você escolher um formato de podcast, que se assemelha aos programas de rádio;
  3. Qual é o melhor formato para aquela solução específica. Se for uma dor mais simples, talvez um e-book seja o ideal.
  4. Agora, se precisar de uma solução personalizada, vale a pena considerar a mentoria como melhor formato. 

Aqui também é o momento de pensar nas ferramentas para produzir e vender, elaborar a sua comunicação e pensar na experiência do cliente.

 

6. Defina o preço do produto

Existem algumas coisas que você precisa pensar e podem ajudar a “nortear” a precificação do seu infoproduto, como: 

  • Pense no quanto seu público-alvo está disposto a pagar para ter seus problemas solucionados.
  • Depois, avalie os concorrentes e os produtos digitais parecidos com os seus. 
  • Por fim, considere a sua margem de lucro com cada venda.

Uma coisa muito importante para se ter na cabeça sempre: PREÇO é diferente de VALOR, este é o grande segredo de precificar da maneira certa.

 

7. Crie uma oferta irresistível

Você saberia responder por que seus clientes escolheriam o SEU produto e não qualquer outro similar na internet?

Você precisa gerar percepção de valor para seus clientes.

Seu cliente precisa sentir que este problema que ele tem está o impedindo de ser mais feliz. E que o seu produto é não apenas a melhor solução, mas a única solução possível para ele.

Use e abuse de gatilhos mentais, crie uma proposta de valor, e faça com que o cliente sinta que seu produto vale muito mais do que ele está pagando.

 

 

Quais são as plataformas para infoprodutos?

A escolha de uma plataforma para divulgar e vender seu produto digital é fundamental para o sucesso do seu negócio. Por isso, conheça algumas plataformas que podem facilitar o lançamento do seu infoproduto.

 

Hotmart

A Hotmart é uma plataforma focada em vendas de produtos digitais, principalmente na distribuição de cursos online. 

Além da opção de trabalhar com a produção, a plataforma também permite que você promova produtos como afiliado. Tanto infoprodutores quanto afiliados recebem por comissionamento. 

 

Monetizze

Assim como a Hotmart, a Monetizze também trabalha com dois modelos de negócio: produtores e afiliados. A diferença é que a plataforma não é exclusiva para infoprodutos.

Na verdade, a Monetizze surgiu como uma plataforma de intermediação de venda de produtos físicos, e posteriormente passou a hospedar infoprodutos também.

 

HeroSpark

Uma outra boa opção de plataforma para você realizar o lançamento do seu infoproduto é a HeroSpark. 

A HeroSpark é uma plataforma tudo em um. Isso quer dizer que desde a sua estratégia de marketing ao recebimento dos pagamentos pelas vendas você consegue concentrar tudo em uma única plataforma. 

Vale destacar que a plataforma tem checkout exclusivo, que garante mais segurança e agilidade.

Assim, a plataforma entrega uma experiência completa, desde a divulgação até a venda dos produtos, com zero burocracia para os produtores.

 

Qual é a grande vantagem dos infoprodutos?

Esse é o grande “pulo do gato” dos negócios digitais e dos infoprodutos.

Depois que você seguiu todos os 7 passos e criou um produto irresistível, de altíssima qualidade, você irá divulgá-lo para fazer suas primeiras vendas.

Após essa fase, seus investimentos serão todos direcionados para DIVULGAR o produto, não mais para produzi-lo.

Por exemplo: em um curso presencial, a cada nova turma você tem gasto com apostilas, locação das salas, certificados e outros materiais.

O infoproduto, por sua vez, permite um único investimento em produção. Depois, você apenas divulga e colhe os frutos de um trabalho bem feito. 

Esse é o potencial escalável dos infoprodutos e o que fará seu negócio multiplicar seu faturamento sem, necessariamente, aumentar as despesas na mesma medida. 

 

Perguntas Frequentes 

Quanto ganha um infoprodutor?

Os ganhos mensais de um infoprodutor podem variar, pois dependem do preço final do infoproduto e de como será o fluxo de vendas.

Para faturar bem com um produto digital barato, é necessário atrair um público muito maior e apostar na escalabilidade do mercado digital. 

Já um infoproduto mais exclusivo e de alto investimento, como cursos e mentorias de R$ 3 mil ou mais, a estratégia é buscar um público específico e com maior potencial de investimento. 

Nas duas opções, o ideal é conhecer bem o público com o qual se quer trabalhar e planejar as campanhas. 

 

Quanto ganha um coprodutor?

Assim como os infoprodutores, a remuneração de um coprodutor também pode variar. O modelo de remuneração por coprodução deve ser estabelecido previamente, podendo ser:

  • Remuneração fixa: nesse tipo de remuneração, é possível receber um valor fixo mensal pelo tempo que o infoproduto estiver à venda, ou um valor único acertado como compra de projeto;
  • Remuneração variável: é a mais comum, onde o coprodutor recebe uma porcentagem pelas vendas realizadas;
  • Remuneração híbrida: nesse modelo, o coprodutor receberá um valor mínimo pré-determinado, além da porcentagem por vendas. 

Seguindo o passo a passo deste post, com certeza você sairá disparado na frente da concorrência.

A HeroSpark oferece diversas soluções para o infoprodutor, desde ferramentas para divulgar, até a hospedagem de um produto digital e as vendas, tudo com checkout próprio e 100% seguro.

5 Comentários

  1. Raquel disse:

    Eu gostei muito desse artigo me ajudou, essa explicação é direta e objetiva

  2. ANA P L DAMASCENO disse:

    Obrigada pelas dicas, ela me ajudaram muito. Vou lançar meu infoproduto com estas dicas e voltarei aqui para te contar os resultados.

    1. elyson disse:

      Que legal, Ana!
      Estamos ansiosos para saber o resultado. 😀

  3. Antonio / Roberta disse:

    Vanessa, obrigado pelo conteúdo! Foram valiosos…e com certeza usaremos no nosso infoproduto/curso online. Em breve aqui na Herospark!

    1. elyson disse:

      Ficamos muito felizes em saber!
      Estamos esperando por vocês aqui na HeroSpark. 😀

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.